ARTIGO – A CAMINHO DA CONSCIÊNCIA UNIVERSAL

168
A caminho da consciência universal
.
Neiff Satte Alam*
.
… Sabemos disso há muito tempo, a consciência não está no espaço, mas todos os espaços estão na consciência”. Pierre Lévy
.
Do Neolítico ao Noolítico
Na década de 1950 saíamos de Pelotas para Porto Alegre com a expectativa de uma longa jornada, pois os veículos utilizados e as estradas tinham recursos muito inferiores dos que dispomos hoje, isto é , espaços práticos diferentes dos espaços físicos, embora as mesmas dimensões. Mesma distância, mas veículos mais velozes de hoje e em estradas muito melhores.
.
Nossa consciência estabelece que houve uma redução significativa entre estas duas cidades e se adicionarmos a isto o sistema de comunicação, que nos coloca em tempo real Porto Alegre e Pelotas, a distância parecerá ainda menor.
.
Imaginemos agora o Planeta inteiro dentro destas premissas, naves ultramodernas, com velocidade acima da do som e um sistema de comunicação via satélites artificiais e com comunicação via Internet que, além da velocidade, desconhece as fronteiras geográficas, aproxima as populações dos países independentemente de quaisquer diferenças político/ideológicas/étnicas/religiosas. Nestes novos tempos somente podemos imaginar uma reunião cognitiva e que aproxima de uma conexão de consciências distintas em rumo a um sincretismo nos encaminhando para um mundo sem fronteiras e que aproxima os centros de poder as periferias. Esta aproximação nos encaminha para um processo de alteração em nossa maneira de entender a divisão do Mundo em nações.
.
Todas estas alterações tecnológicas, cognitivas e de compreensão da relação espaço prático x espaço geográfico vem modificando inclusive o sentido migratório dos diferentes povos do nosso Planeta. No período Paleolítico (idade da pedra lascada) as migrações eram no sentido da conquista, uma primeira e necessária diáspora. Já no Neolítico (idade da pedra polida)há uma nova ruptura neste comportamento – Revolução Neolítica, que evolui até a criação da escrita e uma organização social mais complexa e com muitos espaços diferentes conquistados e uma diversificação cultural/social/política/religiosa que resultou em formação de grandes civilizações esparramadas pelo Planeta.
.
A partir do Século XV se inicia uma aproximação entre as Nações. As tecnologias de transporte (navios mais eficientes e sistemas de navegação utilizando instrumentos mais eficientes), as necessidades de busca de recursos necessários para manutenção das grandes concentrações de pessoas, principalmente alimentos, fez com que naturalmente ocorresse uma interconexão maior entre os Continentes.
.
Das conquistas do Período Neolítico até os dias de hoje, talvez a maior conquista tenha sido a que diz respeito a evolução do pensamento, o domínio das ideias e do conhecimento sobre o instinto puro e simples de sobrevivência e um controle sobre suas criações no campo da informática, de modo a dominá-la da mesma forma que o fez com o fogo e com as lascas de silício, pois se o  silício acelerou o homem primitivo o mesmo silício está capacitando o homem ao grande salto para o futuro ao compor as unidades básicas de um computador, pois a cibernética é a conquista do pensamento que, assim como o domínio sobre o fogo, colocou o homem na história, criando uma esfera de pensamento universal, a Noosfera e, o domínio da informação e do conhecimento, fará com que esta história tenha futuro e continuidade. Evoluímos, então, do Neolítico para o Noolítico e reduzimos os espaços geográficos para espaços práticos e aproximamos o homem de um complexus entre todas as consciências a caminho da consciência universal!
.
*Biólogo, Professor de Biologia e Especialista em Informática na Educação. Participa do Treze Horas desde a sua criação, em 1978.