ARTIGO – CEM DIAS INTENSOS EM BRASÍLIA

145

Cem dias intensos em Brasília

Daniel Trzeciak*

Completei 100 dias do segundo mandato como deputado federal do Rio Grande do Sul neste 11 de maio. O recorte de tempo transformado em tradição pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt, em 1932, leva sempre a uma reflexão sobre o início do trabalho de quem ocupa cargos políticos. Desde o dia 1º de fevereiro, quando tomei posse em Brasília, vivo a ebulição do atual momento do país entre o Congresso Nacional e o Palácio do Planalto.

Não há como separar minha atuação enquanto deputado federal e crítico ao atual Governo. Como já disse em muitas oportunidades, não tenho “político de estimação” e não posso fechar os olhos ao passado errado que insiste em se fazer presente nas ações muitas vezes inaceitáveis de quem foi eleito democraticamente pelos brasileiros, mas continua mostrando que a distância entre o discurso e a prática é contada em anos-luz. Por isso cobro coerência e respeito ao dinheiro público.

Naturalmente meu segundo mandato tem aprendizados que trago dos quatro anos iniciais. Nunca é fácil chegar e ser notado rapidamente. Passa por uma construção e muito trabalho. De 2019 a 2023 meu empenho foi esse. Resgatar a representatividade regional e os investimentos na Metade Sul, e mostrar que os políticos não são todos iguais. Construí um compromisso de combate e renúncia aos privilégios que acabou contaminando outros colegas e sendo reconhecido nacionalmente. Agora é o momento de avançar.

Cem dias de trabalho representam apenas 7% do mandato, mas a lista das atividades realizadas até aqui não caberia neste artigo. São novas obras iniciadas; reuniões estratégicas em ministérios e agências reguladoras; apresentação de Projetos de Lei; apoio a PECs e CPIs; recepção a prefeitos e vereadores no Gabinete; anúncios de novas emendas; cobranças a ministros e compromissos importantes assumidos, como a participação no Gabinete de Fiscalização Especializada, grupo independente criado para olhar de perto a política e os gastos do Governo. Eu irei fiscalizar o Ministério das Comunicações.

E não tenho como deixar de citar a maior conquista neste período: o nascimento da minha filha Maria Rita. Ela se tornou – e de minha esposa também – agenda diária em nossas vidas, uma explosão de sentimentos que apenas a paternidade explica. Também passou a ser mais uma razão para defender um Brasil melhor. Quero que a Maria Rita cresça num país mais igualitário, onde a política seja, de fato, ferramenta para melhorar a vida das pessoas.

O dia a dia na Capital Federal é intenso e mostra que a voz da representatividade é fundamental. A política perde o efeito se não houver alguém para abraçar os interesses regionais. Avançamos e estamos construindo uma agenda que comunga com o desenvolvimento e o fortalecimento econômico dos municípios, algo que só irá acontecer se o país também andar nos trilhos e cada Poder fizer o seu trabalho corretamente, respeitando a independência ideológica.

Tenho fé e acredito que a intensidade dos 100 primeiros dias servirá de espelho para novas e boas notícias que virão logo à frente.

*Deputado Federal do PSDB-RS