PELOTAS TREZE HORAS: 44 ANOS NESTE DOMINGO

301
Mesa de debates do Treze Horas, no Salão Amarelo da Associação Comercial de Pelotas. Carrega o lema: Aqui o Debate é Livre e a Opinião Independente!. Foto: Arquivo

Neste domingo, 6 de novembro de 2022, o programa Treze Horas está completando 44 Anos de existência ininterrupta. O Treze Horas é um dos mais antigos programas de rádio do Brasil, ao estilo mesa de debates. O “Treze”, como é conhecido, apresentado diariamente pela Rádio da Universidade Católica de Pelotas, dura uma hora e meia – das 13h às 14h30min – e foi ao ar pela primeira vez no dia 6 de novembro de 1978. A ideia nasceu em Roma, durante o período do “Conclave” que elegeu o Papa João Paulo I. Até hoje o Treze Horas é apresentado pelo radialista e jornalista Clayton Rocha, tendo como principal assunto o cenário político de Pelotas em parceria com o radialista Paulo Gastal Neto.

Trinta Anos do Treze Horas foi comemorado com jantar.

Impossível falar sobre o Programa Pelotas 13 Horas sem iniciar mencionando o nome de seu criador e âncora há 42 anos, o jornalista Clayton Rocha. Espaço que carrega o slogan “aqui o debate é livre e a opinião independente”, o Treze Horas tornou-se parada obrigatória de grandes personalidades que visitam Pelotas, como políticos, atores, cantores, representantes de comunidades, profissionais, enfim, local onde qualquer pessoa possa abordar questões de interesse geral.

Valorizado pelos pelotenses, o Treze começou a nascer no ano de 1978, na cidade do Vaticano, por ocasião da eleição do Papa João Paulo I. Naquele momento, a Rádio Universidade Católica de Pelotas fez a inédita transmissão da eleição de um Papa. Com a ideia do programa, e de volta a Pelotas, o âncora levou ao ar, pela primeira vez, o Pelotas Treze Horas. Era dia 06 de novembro de 1978 e o debate contou com a presença de figuras famosas da cidade. Nestes 41 anos o programa foi transmitido de 04 continentes, sendo o segundo debate diário mais antigo do Brasil.

José Gomes Neto é o Decano do Programa.

Cerca de 35 profissionais liberais, além de jornalistas e homens do rádio, participam dos debates diários, transmitidos do “Salão Amarelo”, amplo estúdio, no 7º andar do Edifício da Associação Comercial de Pelotas. O programa tem caráter opinativo e vai ao ar pontualmente às 13h05min. Os pelotenses sintonizam a emissora na frequência 1160AM ou no site: http://ru.ucpel.edu.br. O Treze também está em todas as plataformas das redes sociais:

Site – www.pelotas13horas.com.br
Instagram – @pelotas13horas
Facebook – Facebook.com/Pelotas13horas
Twitter – @Pelotas13horas
E-mail – [email protected]
Fone – (53) 3307 0313
WhatsApp – (53) 98114 8808 ou (53) 99125 6333
PODCAST – anchor.fm/Pelotas13horas

Primeiro estúdio do Treze Horas, no terceiro andar da Universidade Católica de Pelotas, rua Félix da Cunha esquina 3 de Maio, em Pelotas. O jornalista Clayton Rocha recebe Bernardo de Souza, então candidato a prefeito de Pelotas. Ao fundo o jornalista Paulo Octávio Pinho, então produtor do programa.

ESPECIAIS

Embora situado na cidade de Pelotas, o Treze Horas realizou coberturas de eventos em diversos países. Nessas ocasiões especiais, em sua série, sempre adotou o nome da cidade da transmissão.

EUROPA

Entre as coberturas notórias do programa, estão Londres Treze Horas, na queda de Margareth Tatcher, em 1990; Berlim Treze Horas, na derrubada do Muro de Berlim, em 1989; Lisboa e Aveiro Treze Horas, em 1996, 1997 e 2000 durante o Projeto Luso Grande do Sul, idealizado pelo Treze para as comemorações dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil; Paris Treze Horas, durante a Copa do Mundo de 1998, com Paulo Gastal Neto, José Antônio Costa e Manoel Valente; Köln (Colônia – Alemanha) Treze Horas, durante a Copa de 2006, com Paulo Gastal Neto.

VATICANO

Foram transmitidos, do Vaticano, a cobertura das eleições dos papas João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e concessão do “palium” de Arcebispo ao Arcebispo Metropolitano de Pelotas, Dom Jacinto Bergmann, em 29 de junho de 2011. O Treze Horas também esteve presente durante o Conclave de março de 2013, quando da eleição do 1º Papa da América Latina, Cardeal Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco.

ÁSIA

Na Ásia, o Treze Horas deu voz à devolução de Hong Kong à China, em 1997, na caso do Hong Kong Treze Horas. Também transmitiu de Bangkok, Pequim, Tóquio e Macau em séries de uma semana. Com participação de Viviane Senna da Silva, o debate Tóquio Treze Horas foi levado ar, diretamente da capital japonesa, quando do jogo Grêmio x Ajax de Amsterdam, válido pela decisão do Mundial de Clubes. A irmã do piloto Ayrton Senna participou da transmissão, diretamente de São Paulo, através de texto que recuperava as três conquistas de Ayrton Senna na Fórmula 1, todas obtidas em Suzuka, Japão. Em 1998, mais uma vez na Ásia, com Clayton Rocha e Paulo Gastal Neto, o Macau Treze Horas, por ocasião do Congresso Internacional de Universidades de Língua Portuguesa; Também em 1998 o Pequim Treze Horas, em um 1º de Maio, Dia do Trabalho, o programa transmitiu diretamente da China.

AMÉRICA LATINA

Durante a Copa do Mundo de 1986, o Treze Horas foi ao ar diretamente do México, na série Guadalajara Treze Horas, acompanhando o evento durante 30 dias. As transmissões especiais contaram com a presença do jornalista João Saldanha, do Rio de Janeiro, que integrou a equipe de Debates Pelotas Treze Horas também na Cidade do México. Do mesmo país, em 14 de junho 1986, o Treze transmitiu o funeral do escritor argentino Jorge Luis Borges com depoimento do poeta Octavio Paz (Borges foi sepultado em Genebra, na Suíça, no cemitério de Plain-Palais).

No Brasil, o Treze também contou com a participação de Oscar Niemeyer. O programa foi ar diretamente do escritório do arquiteto, no ano de 2010. Também o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso atuou como comentarista convidado do Brasília Treze Horas, tendo ao seu lado Dona Sarah Kubitsckek, durante a Convenção Nacional do PMDB que oficializou os nomes de Tancredo de Almeida Neves e José Sarney como candidatos a presidente e a vice-presidente da República. O arquivo do site contém as falas de FHC.

Treze Horas apresentado do Edifício Banlavoura, hoje do Banco Santanter. Na foto Clayton Rocha, coordenador, Sérgio Corrêa (colaborador e hoje apresentador da Rádio Tupanci, Luis Fernando Lessa Freitas, jornalista e um dos maiores nomes do Treze ao longo das suas 4 décadas. Na ponta o então reitor da Universidade Federal de Pelotas, médico e professor Amilcar Gigante, o jornalista João Garcia – JG e Paulo Gastal Neto, também no Treze há mais de três décadas.

Aldyr Garcia Schlee, professor universitário, escritor, criador da camiseta canarinho da Seleção Brasileira, foi um dos principais colaboradores por ocasião da criação do Debate Pelotas Treze Horas, em 6 de Novembro de 1978. Em Brasília, ele e Clayton Rocha coordenaram a Série Brasília Treze Horas durante a instalação da Assembleia Nacional Constituinte, no final dos anos 80.

Designado por ato do Governador do Rio Grande do Sul, Alceu de Deus Collares, o jornalista Clayton Rocha não apenas dirigiu a Série Rio de Janeiro Treze Horas na Conferência Mundial do Meio Ambiente, a Rio 92, como chefiou a Delegação Oficial do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Jornalista Clayton Rocha, idealizador do Treze Horas.

CLAYTON ROCHA

Clayton Rocha é um jornalista notório na história da rádio difusão pelotense e do Rio Grande do Sul. Inicia suas atividades profissionais em 2 de fevereiro de 1968 como repórter da Rádio Universidade, onde exerce as funções de comentarista, narrador de futebol e cronista esportivo. Em 1978, no entanto, passa a dedicar-se com exclusividade ao Pelotas Treze Horas, centrado em sua figura. Clayton Rocha também foi coordenador de Comunicação Social da Universidade Federal de Pelotas.

O ator Edson Celulari no Treze ao lado do produtor ‘Paulão’ (já falecido) Marcus Cunha, Deogar Soares (integrante da equipe Treze também já falecido e Luiz Carlos Vaz. Ao fundo a jornalista Cláudia Rodrigues que por muito tempo integrou a equipe Treze.

PROJETOS SOCIAIS E EMPRESARIAIS

Em 1970, Clayton Rocha cria a campanha 12 Horas Beneficentes, na qual permanece 12 horas no ar com o objetivo de arrecadar recursos para instituições assistenciais da região. Juntamente com Manoel Marques da Fonseca Júnior, foi o criador do Hospital Sem Paredes, voltado para atender menores carentes com problemas de saúde em braços e pernas. Além disso, o Debate Pelotas Treze Horas idealizou os Projetos Luso Grande do Sul – Brasil 500 anos, em 1996, 1997, 1998, 1999 e 2000. Clayton Rocha, Paulo Gastal Neto e Armindo Antônio Ranzolin, diretor da Rádio Gaúcha de Porto Alegre, criaram, em Lisboa, a Rede dos 500 anos, ou Rede do Descobrimento, integrada por 500 emissoras de rádio dos 7 países de língua portuguesa, mais Macau, no sul da China; e Gôa, na Índia. As Séries Lisboa Treze Horas, Brasília Treze Horas, Macau Treze Horas, então possessão portuguesa no sul da China; e Porto Seguro, Bahia, Treze Horas; reuniram as principais emissoras de rádio de língua portuguesa, e de 157 Universidades de língua portuguesa em 7 países. Mário Soares, ex-presidente e ex-primeiro ministro de Portugal, foi empossado, durante jantar na Embaixada do Brasil em Lisboa, no ano de 1976, presidente de honra dos projetos Luso Grande do Sul e Brasil 500 anos, criados em Pelotas.

Um debate sempre consistente em conteúdo. Na foto o Senador Carlos Alberto Chiarelli, Raul Domingos Farina e José Antônio Costa (integrantes da equipe Treze já falecidos), Luiz Carlos Vaz e o jornalista Clayton Rocha coordenando.

ARTIGO

DEBATE LIVRE E OPINIÃO INDEPENDENTE

Professor Neiff Olavo Gomes Satte Alam é um remanescente do programa desde a sua criação, em 1978.

Programa Pelotas 13 Horas, aqui “o debate é livre e a opinião independente”!

Neiff Satte Alam*

Há 44 anos este lema vem direcionando cada Programa “Pelotas 13 Horas”, da Rádio Universidade Católica de Pelotas. As mesmas palavras, o mesmo comportamento jornalístico, o mesmo respeito pelo ouvinte, sempre de portas e microfones abertos para que todos possam emitir suas opiniões, defenderem suas ideias, discutir seus argumentos, desde que a ética e o respeito pelo outro sejam as premissas de bons debates.

Nasceu da vontade de um Cerritense, Clayton Rocha, em dar voz às pessoas de Pelotas e da Região Sul de nosso Estado, muitas vezes vozes solitárias, mas cheias de verdades, verdades que precisavam ser ditas, mas nem sempre tinham espaço e tempo a disposição para dizê-las, pois poucos são os veículos de comunicação e informação que oportunizam a todos, sem distinção.

Políticos de todas as linhas ideológicas sempre encontraram, e seguem encontrando, um espaço para proporem suas ideias, discuti-las com membros da mesa de debates e com a população. Para muitos é o único local onde encontram este espaço. Aproximadamente 12.000 dias com o mesmo apresentador, seu criador, defendendo os interesses regionais, discutindo a política do Município, do Estado e do País. Grandes temas foram e são debatidos. Temas de cunho social, como a recuperação do Albergue noturno pelotense, lugar onde os desafortunados podem encontrar momentos de atenção e conforto, unindo umas pessoas as outras, até um movimento nacional para duplicar a BR-116, uma importante via a nos unir ao resto do País.

Nas campanhas eleitorais, candidatos que na maioria das cidades brasileiras não tem oportunidade de serem ouvidos, aqui, no Salão Amarelo da Associação Comercial de Pelotas, Estúdio do Programa Pelotas 13 Horas, todos os candidatos à Prefeitura de Pelotas, por exemplo, podem expor suas ideias, seus Planos de Governo, não interessando se são de Esquerda, de Direita ou de Centro, a oportunidade é igual para todos.

Muitas vezes itinerante, a equipe do Pelotas 13 horas desloca-se a outros Municípios do Estado, une-se a Rádios destes Municípios, organiza redes de Rádios de várias cidades e amplia seus princípios de realizar bons debates para toda a Região Sul e da Campanha… A Metade Sul do Estado do Rio Grande do Sul se agiganta pelos microfones do Programa Pelotas 13 horas e os políticos desta enorme região são instados a falar, ouvir, debater e comprometerem-se com nossas pautas de melhoria regional e inserção no plano político Estadual. Vereadores, Prefeitos, Deputados, Governadores, Senadores e Presidentes da República, como candidatos ou como eleitos, passaram pelo 13horas, ocuparam os microfones para dizerem o que pretendem como candidatos ou o que estão fazendo como eleitos, alguns até fizeram parte desta mesa de debates…

Podemos dizer, Clayton Rocha, que o passado, o presente e o futuro desta Região passaram pela Mesa de Debates do Salão Amarelo…. e foi lá de Cerrito, pequena grande cidade, que emprestou um filho seu para realizar esta magnífica, mas trabalhosa tarefa; que em um trem puxado por uma locomotiva a vapor buscou novos caminhos sem esquecer os primeiros caminhos de seu aprendizado às margens do Rio Piratini e em meio as olarias de sua terra natal.

Chegando a “cidade grande”, ensinou a todos que realmente é possível fazer-se um debate com liberdade e respeitando a opinião de todos, ouvindo e falando, mesmo que na solidão de um estúdio em meio a uma Pandemia, que nos afastou do convívio diário, mas seguindo sua missão quase solitária de informar ao público e interagir online sem perder o ritmo de uma boa comunicação.

Clayton, que muitos e muitos anos ainda continues a enfrentar todos os obstáculos e vencê-los…Pelotas precisa muito que esta mesa de debates se mantenha firme e sempre dentro destes princípios estabelecidos no final dos anos 70.

“Vida longa, pois há muito ainda por fazer” e parabéns pelo aniversário…

*Professor e integrante da Equipe Treze Horas desde o primeiro programa.

MOMENTOS DO TREZE PARA LEMBRAR:

Áudios Históricos