MÉDICOS DO IPÊ-SAÚDE DECIDEM MANTER PARALISAÇÃO

125

Médicos do IPE-Saúde decidem manter paralisação e entidades convocam profissionais para o licenciamento

Uma das maiores mobilizações na defesa dos médicos credenciados ao Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do RS (IPE-Saúde) continua por tempo indeterminado. Em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada no formato híbrido pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), na última terça-feira, 23, os profissionais definiram, por unanimidade, pela manutenção da paralisação e por tempo indeterminado. “Os médicos deliberaram em manter o movimento, enquanto nada é feito de concreto para garantir a recomposição dos honorários médicos e hospitalares, defasados há 12 anos”, destaca o presidente do Simers, Marcos Rovinski.

Além disso, as entidades médicas — Simers, Conselho Regional de Medicina (Cremers) e Associação Médica do RS (Amrigs) — convocam os profissionais para optarem pelo licenciamento temporário. “Existe um projeto que tramita no Parlamento gaúcho e que não apresenta nada referente à real necessidade da categoria”, enfatiza Rovinski. O dirigente se refere ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 259/2023, enviado na semana passada pelo governo à Assembleia Legislativa, visando a reestruturação do IPE-Saúde.

De acordo com Rovinski, as entidades têm atuado de forma unida e homogênea para garantir que o texto do PLC recebe emendas favoráveis ao reajuste. São elas: a implementação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), a participação no Conselho de Administração da autarquia, a implementação de câmaras técnicas para ajudar na economia dos procedimentos e, ainda, pensar em um novo modelo remuneratório que atenda a realidade dos profissionais e usuários.

No dia 10 de abril, os médicos credenciados ao IPE-Saúde deflagraram uma paralisação, mantendo os atendimentos de urgência e emergência. Hoje, cerca de 6,5 mil médicos fazem parte do plano, que conta com mais de um milhão de usuários, considerado o segundo maior do Estado.