GOVERNO LANÇA EDITAL PARA CONSTRUÇÃO DA NOVA PONTE ENTRE JAGUARÃO E RIO BRANCO, NO URUGUAI

127
A nova ponte sobre o Rio Jaguarão, na BR-116, terá extensão de 419 metros, sendo que, somada aos novos trechos de acesso, totalizará 19,5 km de rodovia a serem construídos. Cerca de 400 empregos diretos serão gerados na região.

O governo federal publicou no Diário Oficial da União, desta quarta-feira (20/03), a reabertura do prazo de licitação para a contratação de empresa para a elaboração dos projetos básico e executivo e execução das obras de construção da nova ponte internacional entre as cidades de Jaguarão, no Brasil, e Rio Branco, no Uruguai. A abertura das propostas está prevista para o próximo dia 3 de maio.

A nova ponte sobre o Rio Jaguarão, na BR-116, terá extensão de 419 metros, sendo que, somada aos novos trechos de acesso, totalizará 19,5 km de rodovia a serem construídos. Cerca de 400 empregos diretos serão gerados na região.

“Quem trafega pela região contará com mais segurança e fluidez viária. Além de melhorar o tráfego de pessoas e cargas entre os países, vai fortalecer o turismo e as relações bilaterais. Uma demanda histórica atendida pelo presidente Lula, que incluiu a obra no Novo PAC”, comemora o deputado federal Alexandre Lindenmeyer (PT-RS).

PROJETO DE LEI DÁ NOME DE ALDYR SCHLEE A PONTE

Lindenmeyer protocolou o projeto de lei nº 111/2024 para denominar Ponte Internacional Brasil-Uruguai “Escritor Aldyr Garcia Schlee” o trecho brasileiro da nova ponte sobre o Rio Jaguarão.

No PL, o parlamentar ressalta o reconhecimento do escritor jaguarense com vários prêmios literários, como o da Bienal de Literatura Brasileira, que ganhou duas vezes, e o Prêmio Açorianos de Literatura, que ganhou sete vezes. Em 2015, recebeu a Ordem do Mérito Cultural, no grau de comendador, pelo Ministério da Cultura.

“Por sua trajetória intelectual, cultural, jornalística e social é que o jaguarense Aldyr Garcia Schlee deve ser homenageado com seu nome gravado na nova Ponte Internacional Brasil-Uruguai, dado que a estrutura representa a união e a cooperação entre os povos pampeanos, com os quais o escritor teve profunda ligação de afeto e respeito”, justifica o autor da homenagem.