CAPITÃO ASTÚCIA, FILME PRODUZIDO POR CINEASTA PELOTENSE, PARTICIPA DO FANTASPOA – Podcast

553
O papel principal é interpretado pelo ator pernambucano Fernando Teixeira (80 anos). O herói quixotesco acredita que sua missão é salvar o mundo de um vilão japonês, Akira, um misterioso tocador de harpa laser que aparecia na TV nos anos 80. Akira é interpretado pelo conhecido ator Yudi Tamashiro.

JORNALISTA E ESCRITOR LOURENÇO CAZARRÉ FALA SOBRE “CAPITÃO ASTÚCIA” NO TREZE HORAS – Podcast

Capitão Astúcia, filme produzido por cineasta pelotense, participa do FantasPoa

“Capitão Astúcia” – longa metragem produzido pela Caza Filmes, empresa de Érico Cazarré – foi escolhido para participar do maior festival de filmes fantásticos da América Latina, o FantasPoa, agora em sua 17ª. edição. Érico Cazarré, nascido em 1982, em Pelotas, é filho dos pelotenses Luísa Cunha e Lourenço Cazarré.

O FantasPoa terá a participação de cerca de 40 filmes brasileiros e de outros países. Será realizado de 15 de abril a 1 de maio, em formato presencial. A première do longa “Capitão Astúcia” acontece em Porto Alegre no dia 20 de abril no Instituto Ling.

“O nosso filme conta as peripécias de um velhinho franzino, já meio gagá, que acredita ser um super-herói de revistas em quadrinho e de seu neto, um rapaz que não consegue se desvencilhar de seu passado como menino-prodígio musical”, conta Érico Cazarré. “É um filme delicado, muito divertido e movimentado”.

O papel principal é interpretado pelo ator pernambucano Fernando Teixeira (80 anos). O herói quixotesco acredita que sua missão é salvar o mundo de um vilão japonês, Akira, um misterioso tocador de harpa laser que aparecia na TV nos anos 80. Akira é interpretado pelo conhecido ator Yudi Tamashiro.

Quando descobre que o bandido nipônico fará uma apresentação na sua cidade, o delirante Capitão Astúcia busca ajuda de seu neto Santiago (Paulo Verlings) para a ajudá-lo na grande batalha. “Essa parceria mais do que improvável vai acabar se transformando em uma bela amizade a medida que o rapaz é cativado pelo amor que o avô tem pela vida” – diz Érico Cazarré. “Assim, Santiago, de início contrariado e indiferente, acaba se transformando em coadjuvante de super-herói, a fim de auxiliar seu avô a enfrentar e vencer a senilidade a mesma determinação e coragem com que enfrenta o maligno Akira”. O destemido Capitão Astúcia conta também com a cumplicidade e o amor de sua Dulcinéia, vivida magistralmente pela atriz Nívea Maria.

As referências do filme são tanto o romance Dom Quixote quanto a cultura de massa dos anos 1980. Com classificação indicativa para 12 anos, o filme resultou da parceria de dois colegas do curso de Cinema da Universidade de Brasília na virada do milênio: Filipe Gontijo é o diretor e o pelotense Érico Cazarré é o produtor-executivo.