ARTIGO – DO IPIRANGA AO CASTELO DE WINDSOR – Podcast

212

ARTIGO – DO IPIRANGA AO CASTELO DE WINDSOR – IVON CARRICO – Podcast

DO IPIRANGA AO CASTELO DE WINDSOR

Ivon Carrico*

O Ipiranga nos faz recordar que há 200 anos um grito aconteceu nesta Terra de Santa Cruz, correndo com a opressão e a indignidade naturalizadas e relativizadas nesses rincões tupiniquins.

Já, Windsor – na longínqua Inglaterra – nos recorda 1.000 anos dos altos e baixos da realeza britânica. Ainda que com toda a pompa e a circunstância, como exemplarmente mostradas ao mundo nesta semana que passou.

Mas, qual a conexão entre um e outro fato?

Bem, enquanto aqui – na celebração desses 200 anos – foi outro o grito ocorrido, com destaque para a virilidade e, digamos, o desempenho sexual do Presidente do plantão.

Lá, uma morte ocorreu e os súbitos correram para revenciar e expressar a profunda dor pela perda da sua digna e ilustre Soberana.

Uma distância abismal, entretanto, separa esses 02 eventos. Não, não estou falando do Atlântico que tanto nos distancia e, tampouco, dos tempos históricos.

Lembrando, é claro, que os Britânicos concorreram – e, muito – com os Portugueses para tantas das iniquidades aqui plantadas. Ou, por acaso, alguém desconhece o significado da expressão ‘pra inglês ver’? E, por qual razão ela surgiu?

Mas, todavia, enquanto a realeza britânica, nesses dias, fez uma ode à dignidade e à elegância. Aqui, em um evento diante da Embaixada brasileira, em Londres, assistimos a mais um deprimente espetáculo encenado pela comunidade ‘brazuca’.

Foi preciso, inclusive, que um transeunte de Sua Majestade parasse e chamasse a atenção desses brasileiros pelo insólito, bizarro e desrespeitoso ato. Lembrou o cidadão britânico que ali era a Inglaterra e que o momento era de dor e tristeza.

Assim, não só a distância física e o tempo nos separam. Mas, hoje e, sobretudo, a imensa, tosca e surpreendente vulgaridade patrocinada e existente no Brasil. Até quando?

*Ivon Carrico é pelotense, mora em Brasília, atuando na administração há quase 50 anos. Atuou na ANVISA e na Presidência da República. Brasília: 22/09/2022