ALMÔNDEGAS REALIZA SHOW HISTÓRICO NO TEATRO GUARANY

317
Um show histórico no Teatro Guarany em Pelotas, 44 anos depois de Os Almôndegas, ter se desfeito. Foto: Darci Peter / Redes Sociais
Apresentação ocorreu na noite deste sábado, 44 anos depois do fim do grupo que marcou época

Foi um misto de emoções na hora em que tocou Vento Negro, a música de abertura, em um Teatro Guarany lotado. As palavras saíam de algumas pessoas acompanhadas de um sorriso de satisfação. De outras, eram projetadas de maneira embargada, ao mesmo tempo em que lágrimas tomavam conta dos olhos. Todos, porém, cantando a plenos pulmões. Todo este cenário foi ocasionado pelo reencontro do Almôndegas, grupo que fez, neste sábado, 25.03, um show histórico em Pelotas, 44 anos depois de ter se desfeito. Em todo este tempo, eles haviam feito apenas um outro show de reencontro — em 1990, marcando os 15 anos do primeiro disco, lançado em 1975. Ou seja, a expectativa para esta apresentação estava nas alturas.

Com seu violão de 12 cordas, Kiko Castro Neves também mostrou a sua bela e potente voz com os colegas de Almôndegas Camila Hermes / Agencia RBS

O show começou acompanhado de uma salva de palmas e gritos eufóricos — estes dois elementos aparecerem depois de cada música. Mas foi logo com a canção de abertura – Vento Negro – que o público embarcou em uma viagem no tempo, olhando para o palco como se fosse uma miragem. Houve, então, um desfile de hits atemporais, com melodias suaves e dando espaço para todos os seis integrantes do grupo brilharem também individualmente, com solos de seus instrumentos e soltando a voz. Eles entregaram para o público sorrisos e bom humor, demonstrando uma alegria genuína de estarem vivendo aquele momento.

E na sequência, um final bem divertido, com eles saindo de cena após entoarem “nóis semo umas almôndegas”. E eles, de fato, deixaram o palco. Eram as duas músicas planejadas para o bis. Depois, novamente efusivamente aplaudidos, o público não arredou o pé. Queria mais. E o Almôndegas entregou. Voltou novamente ao palco e apresentou, novamente, Vento Negro. A reação da plateia foi ainda mais poderosa, cantando toda a letra com o grupo, em completa conexão e emoção. De fato, foi o final apoteótico de uma noite que vai ficar na memória dos milhares de fãs presentes e, certamente, dos próprios músicos.

O setlist da banda no sábado no Guarany:

  • Vento Negro
  • Amargo
  • Em Palpos de Aranha
  • Amor Caipira e Trouxa das Minas Gerais
  • Daisy, My Love
  • Clô
  • Alô, Buenas
  • Até Não Mais
  • Elevador
  • Androginismo
  • Feiticeira
  • Circo de Marionetes
  • Piquete do Caveira
  • Haragana
  • Canção da Meia-Noite
  • Sombra Fresca e Rock no Quintal
  • Almôndegas
  • Vento Negro