A PEDIDO: NOTA PÚBLICA CRIAÇÃO DE VAGAS NO CURSO DE MEDICINA DA UFPEL

292

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), maior entidade médica da América Latina e que representa mais de 15 mil médicos, vem a público repudiar a possibilidade de criação do curso de Medicina (Humana) na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) para a população cadastrada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ou beneficiária de projetos de assentamentos.

A Entidade se manifesta contrária à postura da Reitoria da Instituição que realizou reunião com representantes da Administração Central da Universidade e da Faculdade de Medicina, Psicologia e Terapia Ocupacional (Famed), além de lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), e estuda a viabilidade de oferta nos moldes da experiência da UFPel com as turmas especiais de Medicina Veterinária.

O Simers é contrário a qualquer processo de expansão de vagas sem parâmetros e pressupostos que garantam qualidade à formação. Da mesma forma, defendemos que o sistema de processo seletivo para instituições de ensino superior, contido na legislação vigente e considerado justo e legal, seja mantido e não sofra qualquer flexibilização para atender segmentos da sociedade, o que inevitavelmente também se desdobrará com redução da qualidade na formação médica.

Solicitamos, verbal e documentalmente, reunião com a reitoria da UFPel e Coordenação da FAMED, para maior clareza sobre o tema. Esperamos que a Universidade entenda a importância do tema, na forma de uma resposta ágil para esse encontro.

O Simers permanece atento, pela defesa e valorização dos médicos, boa formação de novos profissionais e assistência em qualidade à população.