ORGANIZAÇÃO APRESENTA ÁREA DA ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ E GRÃO EM TERRAS BAIXAS – Podcast

129
A 34ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas é uma realização da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e correalização da Embrapa e do Senar RS, com patrocínio Premium do Instituto Riograndense do Arroz (Irga) e do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Foto: Nestor Tipa Júnior AgroEffective / Divulgação

ORGANIZAÇÃO APRESENTA ÁREA DA ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ E GRÃO EM TERRAS BAIXAS – Podcast

Encontro com imprensa e autoridades sobre o evento que inicia no dia 21, contou com visita às vitrines tecnológicas e montagem dos espaços

A Estação Experimental da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), foi sede para a coletiva de apresentação da 34ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas. O evento foi realizado nesta quarta-feira, 7 de fevereiro, e contou com um tour pelas áreas da estação onde estão sendo montadas as estruturas que receberão empresas e entidades totalizando 150 expositores durante os três dias de atividades da Abertura da Colheita, em uma área de 26 hectares, sendo dez exclusivos de lavouras.  Jornalistas e autoridades também conheceram as lavouras experimentais das vitrines tecnológicas e verificaram o estágio da lavoura Breno Prates, que será colhida em cerimônia simbólica. A Abertura da Colheita será realizada de 21 a 23 de fevereiro, em Capão do Leão.Alexandre Velho, presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), entidade organizadora do evento, destacou que o tema deste ano “Gestão Potencializando Safras” é extremamente pertinente para o momento vivido pelos arrozeiros. Ele também salientou, entre as novidades que serão apresentadas aos visitantes, a Arena Digital ,a área de Drones e a da Indústria 4.0. Está sendo estimada a presença de 15 mil pessoas em três dias. Segundo Velho, a 34ª Abertura Oficial da Abertura da Colheita é o maior evento realizado dentro de todas as Embrapas do Brasil. “Esse protagonismo que temos dentro da produção nacional, de 70%, nos traz a obrigação de trazer as ferramentas necessárias para que os produtores tenham sucesso na atividade agrícola”, ressaltou o presidente da Federarroz. Ele complementou dizendo que é uma feira de negócios que proporciona uma parte técnica incrível, o maior dia de campo do Rio Grande do Sul, com 50 vitrines tecnológicas, que realmente une uma feira de negócios a uma parte técnica.Ainda, conforme o presidente da Federarroz, este ano, além da colheita da área de arroz, será colhida uma área de soja na lavoura Breno Prates, simbolizando as multiculturas em Terras Baixas. A área recebeu duas cultivares de soja e outras quatro cultivares de arroz. A colheita simbólica ocorre no dia 22, às 17h.

Correalizador do evento, o Senar RS foi representado pelo diretor técnico Cláudio Rocha. Ele afirmou que a entidade, incorporada aos eventos que serão realizados na Abertura da Colheita, construiu uma série de alternativas para o público. “Seminários de gestão, Duas Safras, e uma ação inovadora na nossa grade, que escolhemos este palco para lançar”, enumerou. Rocha também informou que o Senar RS proporcionará dinâmicas com drone e um jogo que aborda questões da gestão, entre outras.

Anfitrião do evento, o prefeito de Capão do Leão, Vilmar Schmitt ressaltou a realização da Abertura da Colheita no município. “Nós não somos ninguém sem ter uma boa equipe e Capão do Leão é parceira dos produtores, da Federarroz, e estaremos juntos para assim crescermos”, destacou, ao parabenizar os organizadores. Ele contou que foi produtor de melancia, mas abandonou a produção por, à época, não ter condições de manter a atividade e que hoje há as evoluções técnicas que incentivam a permanência no negócio.

Em nome da Embrapa Clima Temperado, falou o  chefe geral interino  Waldyr Stumpf Júnior. Ele disse que a parceria com a Federarroz é de mais de 10 anos. “A Embrapa é uma casa de ciência e tecnologia e hoje temos o Brasil na vanguarda mundial para agropecuária focada em produção de alimentos. Este evento, amadurecido, canaliza para cá não só as questões políticas, os negócios para a cadeia do arroz, mas também a ciência e tecnologia”, afirmou. Ele também ressaltou que a questão do arroz transbordou e que se fala hoje em sistemas de produção em Terras Baixas, onde se mostra ser possível plantar na várzea, não só arroz, mas soja e trigo, reforçando a lógica da diversificação da matriz produtiva e da integração lavoura pecuária.

A 34ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas é uma realização da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e correalização da Embrapa e do Senar RS, com patrocínio Premium do Instituto Riograndense do Arroz (Irga) e do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Informações e inscrições gratuitas podem ser obtidas pelo site colheitadoarroz.com.br.