IPHAE FAZ VISITA TÉCNICA À OBRA DE RESTAURO DA CATEDRAL DE PELOTAS

272
O reconhecimento da importância artística, histórica e cultural da Catedral São Francisco de Paula está sacramentada no Livro Tombo do IPHAE desde 2011, com o tombamento estadual do templo. Em 2018, esse abraço ganhou o país com o seu reconhecimento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), dentro do Conjunto Histórico de Pelotas. Foto: QZ7 Filmes.

Diretor do IPHAE, Renato Savoldi, visitou as obras de restauração da nave central da igreja e avaliou estrutura montada no canteiro de obras

Andaimes instalados, equipes preparadas e um cronograma de nove meses a ser cumprido para a completa restauração da cobertura da nave central da Catedral São Francisco de Paula. Foto: QZ7 Filmes.

Andaimes instalados, equipes preparadas e um cronograma de nove meses a ser cumprido para a completa restauração da cobertura da nave central da Catedral São Francisco de Paula. Com esse roteiro em mãos, o diretor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE), Renato Savoldi, visitou no último sábado(27) o início das obras na igreja. Ele esteve acompanhado do padre Luiz Boari e da arquiteta Simone Neutzling, da Perene Patrimônio Cultural – responsável pelo projeto. “Já nesta primeira etapa encontramos a montagem do canteiro de obras com uma estrutura de grande porte e qualificação, o que facilitará cada passo no processo de restauro”, destacou Renato.

De acordo com Simone, em uma obra desta proporção a estrutura de suporte para mobilidade das equipes  é fundamental para segurança e agilidade das etapas. Na semana passada foi feito um diagnóstico in loco das condições do madeiramento e telhas, juntamente com o arquiteto Edegar Bittencourt da Luz, da empresa Arquium Construções e Restauro – responsável pela execução da obra. “Esta prospecção nos permitiu analisar as reais condições da estrutura existente, dando subsídios para avaliarmos com mais precisão a situação do telhado”, observou Simone. Durante as análises estruturais, algumas descobertas foram feitas. Já no primeiro momento, uma data impressa em estuque, com o ano de 1954, chamou a atenção dos profissionais. São surpresas positivas, que serão analisadas com calma e posteriormente compartilhadas, como parte de uma pesquisa histórica. “Ficamos contentes ao ver que já nesta primeira vistoria foram feitas descobertas iniciais”, avaliou Renato.

Com previsão de duração até maio de 2023 a obra de restauro da cobertura acontece em tempo de evitar a degradação do madeiramento do telhado, dos forros de estuque e das pinturas murais, que atualmente sofriam as consequências da umidade proveniente da ação do tempo. A iniciativa é financiada via Pró-cultura – Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC), com o patrocínio da Josapar, apoio de Biscoitos Zezé e produzido pela Perene Patrimônio Cultural. Foto: QZ7 Filmes.

O reconhecimento da importância artística, histórica e cultural da Catedral São Francisco de Paula está sacramentada no Livro Tombo do IPHAE desde 2011, com o tombamento estadual do templo. Em 2018, esse abraço ganhou o país com o seu reconhecimento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), dentro do Conjunto Histórico de Pelotas.

A arquiteta explica que o objetivo ao longo das etapas da obra em andamento é criar um diário de obras para que a comunidade possa compreender todos os passos de um projeto de restauro. “Teremos também um foco nas curiosidades, mostrando o quanto estes achados permitem uma melhor compreensão do processo construtivo ao longo dos tempos”, complementa Simone. As informações serão divulgadas na imprensa, através das mídias sociais da Catedral e em eventos culturais promovidos pelas equipes do projeto, como a Semana Cultural da Catedral, que ocorre anualmente em novembro.

PROJETO – Com previsão de duração até maio de 2023 a obra de restauro da cobertura acontece em tempo de evitar a degradação do madeiramento do telhado, dos forros de estuque e das pinturas murais, que atualmente sofriam as consequências da umidade proveniente da ação do tempo. A iniciativa é financiada via Pró-cultura – Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC), com o patrocínio da Josapar, apoio de Biscoitos Zezé e produzido pela Perene Patrimônio Cultural.