DA ZERO HORA: RS TEM NOVAS OPÇÕES PARA PASSEIOS DE TREM

410
Maria Fumaça de Bento Gonçalves completa 30 anos de atividades em 2023. Foto: Neimar De Cesero / Agencia RBS

Matéria da Zero Hora

RS tem novas opções para passeios de trem; conheça cinco destinos cheios de história e belas paisagens

Nos últimos anos, Estado recebeu investimentos em viagens ferroviárias comemorativas

Vinícius Coimbra – Da www.gauchazh.clicrbscom.br

Os próximos meses serão de novas opções para quem planeja passear de trem por municípios do Rio Grande do Sul. O Estado tem recebido investimentos em viagens ferroviárias comemorativas, o que eleva o número de roteiros quando somados às atrações que ocorrem em todas as semanas do ano. Os passeios oferecem experiências gastronômicas, degustação de bebidas e imersão na história local. Somado a isso, algumas viagens dispõem de pacotes que integram outros pontos turísticos do interior gaúcho.

Um dos passeios do segundo semestre será a quinta edição do Trem dos Vales, com viagens de Guaporé a Muçum, entre agosto e dezembro. Nesta temporada, serão 92 viagens aos fins de semana e feriados, com a projeção de receber 45 mil passageiros. É uma oferta 25% maior em comparação a 2022, quando quase 36 mil viajantes participaram da atividade ao longo de três meses. — Notamos que os passeios de trem são indutores do turismo nas regiões onde conseguimos implementá-los. Os trens comemorativos atraem visitantes das mais diversas faixas etárias: despertam o interesse da “melhor idade” em função da nostalgia de reviver o passeio e também das crianças pela magia de estar em um trem — diz Marlon Ilg, diretor-presidente na Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF).

A ABPF é uma organização sem fins lucrativos que mantém museus ferroviários e viagens em trens históricos, restaurados conforme características originais. A associação também atua para obter a permissão para os passeios junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e à Rumo Logística, empresa que administra ferrovias em diversos Estados. A necessidade de concordância para a realização da viagem turística faz com que os passeios ocorram em períodos específicos do ano em alguns casos: — Temos autorização para fazer apenas os passeios comemorativos, mas estamos trabalhando em um projeto para conseguirmos o trem de passageiros. É um processo demorado, que depende da avaliação de condições técnicas e logísticas: é toda uma estrutura que precisa estar em consonância com os horários dos trens de carga. Mas acreditamos que teríamos público se o passeio fosse durante todo o ano— explica Rafael Fontana, coordenador do Trem dos Vales.

O segundo semestre terá outras duas viagens comemorativas: o Trem da Imigração tem cinco passeios programados entre Muçum e Colinas no final de julho. Já o Trem da Quarta Colônia fará quatro viagens entre Santa Maria e Restinga Sêca, no centro do Estado, em junho e julho.

Além dos passeios comemorativos, o mapa das viagens turísticas de trem oferece outras opções tradicionais no RS: na Serra, a Maria Fumaça de Bento Gonçalves, e em Marcelino Ramos, no norte do RS.

Passeio oferece atrações musicais e degustação de bebidas aos visitantes. Foto: Neimar De Cesero / Agencia RBS

Maria Fumaça, na Serra

A Maria Fumaça da Serra é uma das viagens de trem mais tradicionais do Rio Grande do Sul: completa 30 anos de atividade neste mês. O veículo percorre a ferrovia entre os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa. São nove opções de passeios que incluem datas temáticas – como Natal e Dia dos Namorados -, nos quais são oferecidas experiências relacionadas ao vinho, gastronomia e cultura local.

Um dos mais procurados pelos visitantes é o passeio do Trem do Vinho, que dura três horas e inclui degustação de bebidas. A cultura italiana também está presente nessa atividade: a imigração da região é contada no Parque Cultural Epopeia Italiana, um espetáculo com nove cenários em tamanho real e que retrata a história de um casal de imigrantes italianos.

— O  visitante embarca em um trem a vapor que percorre a ferrovia e também assiste a apresentações culturais gaúchas e italianas que animam os vagões. Durante o trajeto, ele poderá degustar vinhos (seco e suave), espumantes (brut e moscatel) e suco de uva — resume Cristiane Tomazini, gerente de marketing da Giordani Turismo, empresa que organiza a viagem.

Foi esse o passeio que Laís Leite, 26 anos, escolheu para fazer com o marido, Matheus Silva, 27, na quarta-feira (7). Eles haviam chegado a Gramado na segunda-feira (5) para a lua de mel.

— Sempre ouvi falar bem da cultura, dos queijos, vinhos, chocolates e principalmente da Maria Fumaça. Foi encantador assistir às apresentações, conhecer pessoas de outros Estados, beber um bom vinho e entender um pouco da história de Bento Gonçalves. Foi a minha primeira vez andando de trem e essa experiência com certeza ficará marcada. Fico com desejo de retornar e trazer meus amigos e familiares — conta Laís, que mora em Umuarama, no Paraná.

Já Paola Müller, 38 anos, levou a mãe, Eliana Ávila, para comemorar o aniversário de 70 anos. A filha já tinha feito a viagem há 10 anos; a mãe foi pela primeira vez no passeio da tarde de quarta-feira.

— Quis fazer uma coisa diferente com ela, não só uma comemoração em casa. Ela sabia que ia à Serra, mas não para onde. Pedi, inclusive, para cantarem “parabéns” no trem. Foi uma experiência bem legal — relata Paola, moradora de Porto Alegre.

Carla Alexandra Brito, 35 anos, e outros três colegas foram à serra gaúcha para uma reunião de trabalho. Finalizado o encontro profissional, eles decidiram aproveitar a região: um dos passeios escolhido pelo grupo foi o da Maria Fumaça.

— Todo mundo gostou da comunhão, da troca, das risadas. Visualizamos a história, as dificuldades da imigração dos italianos até o Brasil e a resiliência que eles tiveram  — diz a gestora de vendas de Fortaleza (CE).

Uma família de Santa Bárbara d’Oeste, no interior de São Paulo, foi pela segunda vez no passeio da Maria Fumaça de Bento Gonçalves. Na primeira oportunidade, Maria Laura Bignotto Pereira, 37 anos, estava grávida da primeira filha, Lavínia Bignotto Pereira, hoje com oito. Na tarde de quarta-feira, além do marido, Dirceu Pereira Jr., 41 anos, estava junto a caçula Cecília Bignotto Pereira, de cinco.

— A gente pôde ter um pouquinho das músicas típicas. Todas as apresentações feitas durante o percurso são animadas e descontraídas, o clima é muito gostoso, traz bastante entusiasmo para a viagem. Foi uma experiência muito válida. As crianças gostaram muito — conta Maria Laura.

Serviço

Pacote Maria Fumaça e Epopeia Italiana

  • Onde começa o passeio: Estação de Bento Gonçalves (Rua Duque de Caxias, número 1, bairro Cidade Alta). As saídas ocorrem durante o ano todo às quartas-feiras, sextas-feiras, sábados e domingos, às 9h, 11h, 14h e 16h
  • Quanto custa: R$ 235 para adultos e crianças maiores de seis anos; crianças até cinco anos, no colo, não pagam ingresso
  • Como comprar o ingresso: no site e de forma presencial caso haja disponibilidade
  • Mais informações: giordaniturismo.com.br

Maria Fumaça de Marcelino Ramos

São cerca de 10 quilômetros no passeio que dura uma hora. Foto: Passeios de Trem / Divulgação

Marcelino Ramos é uma opção para passear de trem durante o ano todo no interior gaúcho. A Maria Fumaça tem saída prevista às quartas-feiras e sábados. O trajeto começa na estação ferroviária de Marcelino Ramos e segue até a comunidade de Uruguai no município catarinense de Piratuba: no deslocamento, passa por uma ponte rodoferroviária que divide os Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. São cerca de 10 quilômetros na atividade (ida e volta) que dura uma hora.

— Durante o passeio tem música ao vivo, as ferromoças contam a história, comercializam souvenirs, bebidas e guloseimas. É um passeio histórico, uma volta ao passado, que contempla as belezas do Rio do Peixe. O passeio passa por uma ponte de ferro de 455 metros de extensão, 23 metros de altura, inaugurada em meados de 1913 — conta Patricia Guedes, proprietária da Panessa Tur, a agência organizadora da viagem.

Quem estiver nas Termas de Marcelino Ramos pode pagar R$ 72 por para realizar a viagem, que inclui o transporte coletivo do local à estação ferroviária. Além da música ao vivo, a atividade dispõe de uma feira de artesanato e uma réplica da Maria Fumaça para tirar fotos.

Serviço

  • Onde começa o passeio: Estação Ferroviária de Marcelino Ramos (Rua General Osório, sem número)
  • Quanto custa: R$ 60 para adultos e crianças maiores de seis anos; crianças de até cinco anos, no colo, não pagam ingresso
  • Como comprar o ingresso: neste site
  • Quando: às quartas e sábados, 15h
  • Mais informações: (54) 98423-9813, Patricia Guedes

Trem dos Vales (Guaporé – Muçum)

Trem dos Vales terá a quinta edição em 2023. Foto: Kadu Bernardi / Trem dos Vales/Divulgação

A quinta edição do Trem dos Vales tem atividades programadas a partir de 12 de agosto. O passeio ocorrerá entre Guaporé e Muçum (e vice-versa), em um trajeto de 46 quilômetros, na chamada Ferrovia do Trigo. São 23 túneis e 15 viadutos. O mais conhecido do caminho é o Viaduto do Exército ou V13, considerado o maior da América do Sul: são 143 metros de altura e 509 de extensão. O deslocamento dura cerca de duas horas e 30 minutos e passa também pelos municípios de Vespasiano Corrêa e Dois Lajeados.

O trem atravessa ainda os viadutos Pesseguinho e Mula Preta. O passeio contempla apenas o deslocamento entre uma cidade e outra. Por isso, se o visitante precisar retornar para a estação de origem, é preciso adquirir o retorno rodoviário como adicional (R$ 24). A maioria dos 92 passeios previstos está concentrada aos sábados e domingos; o último ocorrerá no dia 17 de dezembro. — É um passeio diferente dos demais do Brasil: a altura e estrutura dos viadutos, o percurso, a distância, inclusive os túneis, não se encontra nada igual em todo o país. É uma experiência turística que já ultrapassou os limites do Estado — afirma Rafael Fontana, coordenador do Trem dos Vales.

Os ingressos custam R$ 154 para adultos e crianças a partir dos seis anos; crianças de colo (até cinco anos) não pagam. Há opção de incluir outros destinos em Guaporé, com ida a uma vinícola, shopping e autódromo. Um pacote com adicional de R$ 236 inclui visita ao Cristo Protetor de Encantado.

Serviço

  • Onde começa o passeio: Guaporé (Rua da Estação, sem número, bairro Ferroviário, Guaporé) e Muçum (estação ferroviária)
  • Quanto custa: R$ 154 para adultos e crianças a partir de seis; crianças de colo (até cinco anos) não pagam. Há adicionais para visita a uma vinícola e ao Cristo Protetor de Encantado
  • Quando: entre 12 de agosto e 17 de dezembro, às 9h (Guaporé) e às 14h30min (Muçum)
  • Como comprar ingressoneste site
  • Mais informações: tremdosvales.com.br e telefone/WhatsApp: (47) 33079977

Trem da Imigração (Muçum – Colinas)

O deslocamento tem cerca de duas horas de duração. Foto: Divulgação

O Trem Imigração é uma oportunidade para conhecer a história de Muçum, Roca Sales e Colinas. O roteiro tem cerca de 30 quilômetros e é percorrido com uma locomotiva diesel-elétrica pelos trilhos entre a Ferrovia do Trigo e Ferrovia Tronco Principal Sul (TPS), em um deslocamento de cerca de duas horas.

É preciso, porém, ter atenção às datas: a edição de 2023 do passeio ocorrerá em cinco dias de julho: 22 e 23 (sábado e domingo), 28 (sexta-feira) e 29 e 30 (sábado e domingo). Os passeios são realizados duas vezes ao dia: Muçum – Colinas, com saída às 9h, e Colinas – Muçum, com partida às 14h30min.

— Roca Sales é metade alemã e metade italiana, e Muçum é completamente italiana. Por isso chamamos de Trem da Imigração. Esse é um trem temático, com atrações culturais: são servidos espumantes, vinhos e cerveja artesanal, que são características das duas imigrações — acrescenta Rafael Fontana, que também coordena esse passeio.

Um dos atrativos do Trem da Imigração é o deslocamento pela Ponte Rodoferroviária Brochado da Rocha, em Muçum. Com 289 metros de extensão, foi construída sobre o Rio Taquari e inaugurada em 1963. Por ela passam a Ferrovia do Trigo e a RS-129: a linha ferroviária passa através de arcos e a rodovia a alguns metros abaixo. O trajeto inclui três túneis, três viadutos e uma sequência de morros às margens do Rio Taquari.

Serviço

  • Onde começa o passeio: Estação Ferroviária de Colinas (Rua da Estação, sem número, Centro) e Estação Ferroviária de Muçum
  • Quanto custa: R$ 129 para adultos e crianças a partir dos seis anos; crianças de colo (até cinco anos) não pagam. Há um pacote com adicional que inclui almoço em um restaurante em Roca Sales, onde também ocorre um city tour. Além disso, é feita uma visita ao Cristo Protetor de Encantado. Um guia acompanha os visitantes nas atividades
  • Quando: 22, 23, 28, 29 e 30 de julho, às 9h (Muçum) e 14h30min (Colinas)
  • Como comprar o ingresso: neste site
  • Mais informações: tremdaimigracao.com.br

Trem da Quarta Colônia (Santa Maria – Restinga Sêca)

A Trem da Quarta Colônia fará quatro viagens entre Santa Maria e Restinga Sêca, no centro do Estado, em junho e julho. O deslocamento terá quatro horas de duração em um trecho de 54 quilômetros, que passa pelas estações de Arroio do Só e Camobi. Os passeios estão programados para dois fins de semanas: nos dias 24 e 25 de junho e 1° e 2 de julho.

A saída de Restinga Sêca ocorrerá às 8h30min; em Santa Maria é às 14h. O objetivo é rememorar viagens feitas no trecho pelos trens Húngaro, Minuano, Farroupilha e Pampeiro. O custo é de R$ 115. Quem precisar voltar para a cidade do início do passeio pode comprar a passagem rodoviária por R$ 24.

Serviço

  • Onde começa o passeio: estações de Santa Maria (às 14h) e Restinga Sêca (8h30min)
  • Quanto custa: R$ 115 para adultos e crianças maiores de seis anos; crianças até cinco anos, no colo, não pagam ingresso
  • Quando: 24 e 25 de junho e 1° e 2 de julho
  • Como comprar o ingresso: neste site
  • Mais informações: no site