ARTIGO – ‘OLHO VIVO’ CONTRA A CRIMINALIDADE – Podcast

551

Fabrício Tavares – Vereador e ex-vice-Prefeito de Pelotas

Estou no último ano do mandato popular que tive a honra de receber pela primeira vez na última eleição para a Câmara Municipal de Pelotas. Desde que fui eleito procurei aproveitar o meu conhecimento jurídico e a experiência de quatorze anos como gestor público, aliado à colaboração de várias pessoas, para trabalhar projetos de interesse coletivo que ajudem a melhorar a vida das pessoas ou de determinados segmentos da comunidade, fugindo assim da velha política assistencialista, que pode até ajudar uma ou outra pessoa, mas serve mais para garantir a reeleição de um vereador a partir da omissão do poder executivo do que para promover uma cidade melhor para se viver.

Nessa linha, me orgulho de ter proposto, articulado e aprovado diversos projetos de lei e proposições, com destaque para a lei do Parto Seguro; a lei que ajuda a combater a violência doméstica contra mulheres, crianças, idosos e animais; a nova lei que regulamenta o serviço de táxi; a lei que declarou as cooperativas de catadores de lixo como serviço de utilidade pública; a lei que declarou a Santa Casa de Misericórdia de Pelotas como instituição de utilidade pública e a sugestão de realização de um mutirão da saúde – proposto em 2017 – para zerar a fila do SUS nas consultas, exames, cirurgias, etc, o que infelizmente não ocorreu até o momento.

Contudo, considerando que a falta de segurança, inclusive em tempos de pandemia, é uma das principais preocupações da nossa comunidade, quero fazer um destaque especial à lei que autorizou e regulamentou o projeto OLHO VIVO, que permite a utilização de imagens privadas pelas centrais de vídeo-monitoramento do Município e da Polícia Militar e Civil. Dessa forma, os postos de gasolinas, supermercados, farmácias, padarias, lojas em geral, condomínios e até mesmo edifícios e residências podem ceder as imagens de suas câmeras de vídeo-monitoramento, que captam imagens da via pública, para as forças responsáveis pela segurança da nossa cidade. Graças ao trabalho da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Guarda Municipal e dos parceiros do Gabinete de Gestão Integrada, como a Brigada Militar e a Polícia Civil, essa parceria com a iniciativa privada já está funcionando com o Shopping Pelotas e o Parque Una, por exemplo.

No entanto, precisamos evoluir! Necessitamos de um maior envolvimento da comunidade, pois quanto maior a adesão dos estabelecimentos e das pessoas, maior será a capacidade de prevenir e socorrer a ocorrência de crimes na nossa cidade. Além disso, é fundamental que o Município faça investimentos em tecnologias de ponta para agregar inteligência no sistema de vídeo-monitoramento público, implantando, por exemplo, o sistema de reconhecimento facial de foragidos e procurados pela justiça e de placas de carros roubados, como já existe em alguns lugares do Brasil e em vários lugares pelo mundo. Sabemos que o governo municipal está trabalhando essa perspectiva através do programa Pelotas Pacto Pela Paz, inclusive com recursos garantidos para qualificar o sistema, e que existem projetos de inciativa privada que poderão abranger uma grande área do centro da cidade onde se revela a maior incidência de crimes contra o patrimônio em função da concentração da atividade comercial. Todas essas ações são muito bem-vindas e devem ser comemoradas, mas a nossa ideia é conseguir fazer o cercamento eletrônico e vídeo-monitoramento com reconhecimento facial em todos os bairros, inclusive na colônia, onde a criminalidade aumentou nos últimos anos.

Enfim, a gente sabe que a solução definitiva para combater o crime está na educação, mas também sabemos que a mudança virá a longo prazo se efetivamente conseguirmos mudar a realidade atual. Enquanto isso, temos que trabalhar com ações de prevenção e repressão, de forma integrada entre as forças de segurança pública, como está ocorrendo em Pelotas, o que aliás é louvável e não é muito comum, mais a participação da sociedade civil e o uso das ferramentas tecnológicas disponíveis como é o programa OLHO VIVO que já está em funcionamento na nossa cidade e deverá avançar muito nos próximos meses ajudando no combate à criminalidade.

Confira no Podcast abaixo a participação do Vereador Fabrício Tavares no Treze Horas falando sobre o projeto OLHO VIVO: