ARTIGO – A RESILIÊNCIA GAÚCHA

319
Foto Michel Corvello

A RESILIÊNCIA GAÚCHA

Ivon Carrico*

O Tratado de Tordesilhas, de 1494, jurisdicionou as terras – onde, hoje, está o Rio Grande do Sul – ao domínio espanhol. Entretanto, esse Tratado perdeu o objeto quando da incorporação de Portugal ao Reino Espanhol,entre 1580 e 1640.

Todavia, em 1750, já com o retorno da autonomia política de Portugal, foi firmado o Tratado de Madri, que consagrou a expansão territorial brasileira e, dentre outros, as terras gaúchas ao domínio lusitano.

Contudo, a partir dessa afirmação territorial e, já não mais sob o domínio de Portugal, o Brasil esteve envolvido em numerosos conflitos de fronteiras e internos, com acentuado protagonismo rio-grandense.

Esses tantos conflitos armados – acrescidos das dificuldades do Inverno meridional – moldaram o comportamento do gaúcho frente ao infortúnio.

Assim, não nos faltará o estoicismo e a resiliência necessários para o enfrentamento dessa tragédia climática que ora se abate sobre o nosso rincão.

Como gaúcho, cabe o nosso agradecimento ao povo e às Autoridades constituídas. E, também, às nossas Forças Armadas e Policiais e às instituições civis.

Passados estes dias sombrios, o Governo e o povo gaúcho saberão prestar os devidos agradecimentos e homenagens a esses amigos certos das horas tão incertas.

*Ivon Carrico é pelotense, mora em Brasília, atuando na administração há quase 50 anos. Atuou na ANVISA e na Presidência da República. Brasília: 09/05/2024