PELOTAS PREPARA-SE PARA DECRETAR ESTADO DE EMERGÊNCIA

199
Prefeita Paula Mascarenhas Visita as localidades do interior atingidas pelo granizo e pelas chuvas Foto Rodrigo Chagas

Depois de avaliar os primeiros levantamentos de prejuízos registrados pelas condições climáticas severas das últimas semanas, a prefeita Paula Mascarenhas reuniu a equipe de governo, nesta segunda-feira (25), para encaminhar o Decreto de situação de emergência de Pelotas. A assinatura deve ocorrer nos próximos dias, já que o Município aguarda, ainda, relatórios de perdas na agricultura e na infraestrutura viária dos bairros, que vão se somar aos R$ 42 milhões referentes aos danos contabilizados em estruturas públicas, como pontes, estradas e ruas.

Durante a reunião, a prefeita, secretários, representantes da Defesa Civil, das forças de segurança e técnicos do município fizeram o balanço das ações de resgate, acolhimento e assistência às famílias, que precisaram ser deslocadas para os abrigos montados na Colônia Z3. O funcionamento dos espaços e a reorganização dos serviços, para qualificar o atendimento, também foram tratados. O grupo ainda detalhou os atendimentos às comunidades atingidas pelos alagamentos no Pontal da Barra, Doquinhas e na ponte sobre o canal São Gonçalo, com a distribuição de alimentos, água, fraldas e roupas.

Prefeita Paula Mascarenhas em reunião para definir o lançamento do decreto de emergência – Foto: Gustavo Vara

Conforme a chefe do Executivo, foi um encontro para o balanço da situação dos últimos dias, alinhar ações futuras e avaliar a elaboração do Decreto. “Pelo que já temos apurado de dados, nós não teremos outra alternativa a não ser decretar emergência. Já temos estimados, em infraestrutura rural e urbana, prejuízos de R$ 42 milhões e, nesse montante, ainda não temos contabilizados os estragos com ruas de asfalto e os valores que a Emater vai nos trazer sobre a agricultura familiar. Diante de tudo isso, estimamos que os prejuízos totais ultrapassem os R$ 50 milhões”, apontou. A ideia é que o Decreto seja publicado até quarta (27).

Um dos encaminhamentos da reunião foi a organização de grupo de trabalho com objetivo de mapear as áreas consideradas críticas para alagamentos e identificar a situação das famílias desses locais, para o planejamento de projetos de prevenção dentro do Plano de Resiliência do Município.

Participaram da reunião o vice-prefeito Idemar Barz, a chefe de Gabinete, Kelli Baum, os secretários municipais de Governo, Fábio Machado, de Assistência Social, Tiago Bündchen, de Transporte e Trânsito, Flávio Al Alam, de Qualidade Ambiental, Eduardo Schaefer, de Saúde, Roberta Paganini, de Obras e Pavimentação, Giovan Pereira, de Serviços Urbanos e Infraestrutura, Fábio Suanes, de Habitação e Regularização Fundiária, Cláudia Leite, de Segurança Pública, José Dourado, de Educação e Desporto, Adriane Silveira.

Também compareceram a diretora-presidente do Sanep, Michele Alsina, os assessores especiais de Projetos, Luiz van der Laan, e de Esportes, Carlos Júnior, os coordenadores da Defesa Civil municipal, Fernando Bizarro, e Regional, Márcio Facin, a comandante da Guarda Municipal, Cíntia Aires, o sargento dos Bombeiros Militares, Ary Jahnke, além dos comandantes do CRPO-Sul e do 4° BPM, tenente-coronel Leandro dos Santos e tenente-coronel Paulo Scherdien, e diretores e técnicos das secretarias.