MEMÓRIA DO TREZE HORAS: UM HOSPITAL PARA A UCPEL

67
Dr. Moacir Vitorino Jardim veio para Pelotas e implantou o Curso de Medicina da Universidade Católica. E por aqui ficou uma vida inteira!

O ‘Memória do Treze Horas’, deste domingo, 17.11, relembra uma das passagens mais importantes da Universidade Católica de Pelotas, contada no programa por um dos seus protagonistas, o Dr. Moacir Vitorino Jardim. Jardim, que recebeu o Treze de Bronze, homenagem do programa a personagens da cidade e região, esteve no estúdio do Palácio do Comercio, Salão Amarelo e narrou histórias da nossa cidade. O jornalista Clayton Rocha, selecionou uma dessas narrativas para o ‘Memória’ deste domingo! Um excelente fim de semana a todos os nossos ouvintes!

UM HOSPITAL PARA A UCPEL – Por CLAYTON ROCHA

Dom Antônio Zattera, fundador da Universidade Católica e Bispo de Pelotas de 1942 a 1977, tinha os olhos postos no futuro: apostara no talento de um jovem médico de Belo Horizonte e queria para a UCPEL um curso de Medicina. Determinado e necessitando da autorização da família para poder contar com os serviços do Dr. Moacir Vitorino Jardim, apelou à mãe do jovem médico: -‘ Preciso dele apenas por algumas semanas, depois de instituído o novo curso no sul, ele estará de volta para a sua casa’.

Liberado pela tradicional família mineira, Moacir Jardim veio para Pelotas e implantou o Curso de Medicina da Universidade Católica. E por aqui ficou, tornou-se um dos proprietários do antigo Hospital de Clínicas, hoje São Francisco de Paula. Em momento dramático, quando havia a necessidade da compra do hospital por parte da UCPEL, Moacir Jardim consagrou-se ao presentear Dom Antônio – em hora decisiva – com as ações necessárias para a compra do hospital, o sonho do bispo e Reitor. Moacir Vitorino Jardim jamais retornou para Belo Horizonte. – “Vim para ficar apenas umas poucas semanas e fiquei aqui uma vida inteira”!

Dom Antônio Zattera em momento que inaugurava o Curso de Medicina da UCPEL.
Aqui Dom Antônio Zattera recebe homenagem da sua Universidade.
Dom Antônio com o Presidente da República, Janio Quadros.

A firmeza administrativa e o poder de convencimento de Dom Antônio foram peças chaves em seu propósito de construir uma Universidade. Perguntado, certa feita, como conseguiu tudo isso, respondeu com espontaneidade: – “Pensando nela (na UCPel) sem parar, meu filho!”

Outro dia, ao abraçar o Jardim, por ocasião da inauguração do Memorial Dom Antônio Zattera, tive um sentimento: “eu abraçava os dois, em nome de uma só causa: a UCPel.” Quando vejo Moacir Vitorino Jardim caminhando pelas ruas de Pelotas, numa manhã ensolarada de um sábado, também vejo Dom Zattera, esse inextinguível facho de luz sempre pronto a retirar todas as sombras ameaçadoras de uma sala de aula, o endereço do saber que é mola mestra em favor da qualificação do indivíduo e da salvação da propria nacionalidade.

DOM ANTÔNIO ZATTERA

Dom Antônio Zattera foi o terceiro bispo de Pelotas. Natural do município de Garibaldi nasceu em 25 de julho de 1899, filho de Bartolomeu e Maria Evangelisti Zattera. Ingressou em 1910 no Seminário de Porto Alegre, passando em 1913 para o de São Leopoldo. Recebeu o presbiterado em 12 de agosto de 1923 pelas mãos de Dom Ático E. da Rocha, Bispo de Santa Maria. Foi coadjutor em Caxias do Sul, coletor das obras da nova Catedral de Porto Alegre, vigário de Vilas Boas de 1926 a 1927, e de 1928 a 1942 em Bento Gonçalves. Na guerra civil de 1930 acompanhou as tropas rio-grandenses como capelão-chefe. No dia 4 de fevereiro de 1942 foi nomeado bispo de Pelotas, tendo sido sagrado por D. João Becker em 31 de maio de 1942 na matriz de Bento Gonçalves. Tomou posse de nossa diocese em 9 de julho do mesmo ano. Depois de 35 anos de Episcopado e tendo atingido 78 anos, em 28 de setembro de 1977, Dom Antônio renuncia ao cargo de Bispo Titular da Diocese de Pelotas, por dispensa concedida pelo então Papa Paulo VI. Tão logo entregou o cargo a seu sucessor, transferiu-se para um pequeno setor do Instituto de Menores, onde residiu até sua morte aos 88 anos, em 15 de outubro de 1987, em Porto Alegre.