HIDROVIA DO MERCOSUL AVANÇA

246
O ministro dos Portos e Aeroportos, Márcio França e o Deputado Federal Alexandre Lindenmeyer (PT) reuniram-se para debater a Hidrovia do Mercosul. Foto: Divulgação

O deputado federal Alexandre Lindenmeyer discutiu a situação da dragagem da hidrovia em audiência com o ministro Márcio França, em Brasília.

O deputado federal Alexandre Lindenmeyer (PT-RS) reuniu-se com o ministro dos Portos e Aeroportos, Márcio França para debater a Hidrovia do Mercosul. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) trabalha para concluir o projeto de dragagem e licitar a obra até o fim do ano. Em março, um encontro entre ministros brasileiros e autoridades uruguaias definiu esta obra como prioritária para os dois países, além da nova ponte entre Jaguarão e Rio Branco.

De acordo com o ministro, o trecho incluído para a dragagem compreende o Canal do Sangradouro, em Pelotas, e o canal de acesso ao Porto de Santa Vitória do Palmar. “A nossa expectativa é que a dragagem permita a redução dos custos e do impacto ambiental no transporte de cargas. O governo trabalha para concluir o projeto o mais breve possível”, afirmou Márcio França.

O tráfego aquático é um eixo fundamental para o intercâmbio comercial entre Brasil e Uruguai, facilitando e barateando o escoamento da produção. A Hidrovia do Mercosul, que liga o canal fluvial entre os dois países, passa pelo rio Jaguarão, Lagoa Mirim, canal São Gonçalo, Lagoa dos Patos e canal Miguel da Cunha permitindo a saída da exportação pelos rios até o oceano Atlântico.

“É um projeto que está ganhando muita força no governo do presidente Lula e que será uma prioridade do nosso mandato. A hidrovia será um importante incremento para o desenvolvimento econômico da região, além de promover o turismo”, destacou Lindenmeyer.

Participaram da reunião, também, o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Fabrizio Pierdomenico, o diretor da Agência de Desenvolvimento da Lagoa Mirim, da Universidade Federal de Pelotas (ALM/UFPel), professor Gilberto Collares, e o ex-deputado federal Henrique Fontana, que sempre trabalhou pela implementação da Hidrovia do Mercosul durante seus mandatos.