ARTIGO – AS GRADES DO PLANALTO

171
Brasília – Grades de proteção em frente ao Palácio do Planalto (José Cruz/Agência Brasil)

AS GRADES DO PLANALTO

Ivon Carrico*

Hoje, por determinação do Presidente Lula, as grades situadas na calçada do Palácio do Planalto foram retiradas. Na opinião dele, essas grades não combinam com democracia.

Não é de hoje a preocupação com a segurança das instalações, das informações e dos ocupantes do Palácio do Planalto. Já, no início do Governo Collor, em 1991, para maior proteção, houve a construção do espelho d’água que foi motivada pela inédita invasão do Palácio por um ônibus dirigido por um motorista embriagado.

Por sua vez, em decorrência dos protestos de 2013, em desfavor do Governo Dilma, houve a colocação desse gradil.

No que concerne à segurança das informações da Presidência da República tivemos – em 2013 – a espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA) americana sobre integrantes do Governo Dilma, o ‘grampo ilegal’ do Temer e Assessores e o ocorrido no 08 de janeiro passado.

Entretanto, diante desses acontecimentos, todos esses aparatos de segurança e medidas coercitivas se mostraram insipientes e precisam ser revistos.

Todavia, é da essência da democracia a união, a conciliação. Qualquer nova medida a ser tomada ou editada precisa observar esses predicados.

O Muro de Berlim já caiu e a Grande Muralha da China já se abriu. Falta agora, entretanto, o Brasil voltar a ser um País para todos. Daí ser emblemática a retirada, hoje, dessas grades.

*Ivon Carrico é pelotense, mora em Brasília, atuando na administração há quase 50 anos. Atuou na ANVISA e na Presidência da República. Brasília: 01/04/2023