FAMÍLIAS EM LOCAIS DE RISCO SENDO REMOVIDAS

290
Defesa Civil começa trabalho de remoção de famílias em áreas de risco. Foto: Gustavo Vara

Por precaução, Defesa Civil Estadual orienta município a encaminhar contingente da Colônia Z3, Pontal da Barra, Doquinhas e sob a ponte do canal São Gonçalo a locais seguros. Dois novos abrigos foram disponibilizados pela Prefeitura no domingo (5)

Moradores de áreas consideradas de risco em Pelotas serão removidos a locais seguros. O anúncio foi feito na noite de sábado (4), no Paço Municipal, pela prefeita Paula Mascarenhas, após reunião com a Defesa Civil do Município. A medida obedece orientação da Defesa Civil Estadual. Além do salão paroquial João Paulo 2º, historicamente utilizado para acolhimento da população atingida por fenômenos climáticos na Colônia de Pescadores Z3, outros dois abrigos serão disponibilizados pela Prefeitura no domingo (5), um no Laranjal e outro na área central de Pelotas.

“Estamos em um permanente trabalho de prevenção e monitoramento da situação climática e das áreas de risco. Já fizemos várias contenções para fortalecer o nosso sistema contra cheias. Recebemos a orientação da Defesa Civil Estadual, de que as pessoas em áreas atingidas na enchente do ano passado, devem deixar esses locais. Ainda que o vento não esteja negativo nesse momento, teremos chuva e precisamos manter as pessoas que vivem nessas áreas fora de risco. Teremos abrigo no Laranjal e no Centro, que estão sendo organizados pelas nossas equipes, para receber as famílias”, anunciou a gestora após a reunião.

Além da Colônia Z3, principalmente das regiões do Junquinho e do Cedrinho, estão sendo removidas pela Prefeitura famílias do Pontal da Barra, das Doquinhas e região localizada sob a ponte do canal São Gonçalo.

Ainda no sábado (4), Paula dedicou sua agenda para acompanhar o trabalho preventivo das equipes do Sanep, da Defesa Civil e da Assistência Social nas regiões ameaçadas. Com a elevação dos níveis da Lagoa dos Patos e do canal São Gonçalo, em função da contribuição das águas que atingem a região metropolitana do Estado, 90 famílias, residentes em áreas de risco, precisaram ser retiradas de casa ao longo dos próximos dias.

Entre a população atingida, 16 famílias foram encaminhadas para o abrigo na paróquia João Paulo 2º, na Z3. O restante se dirigiu para casa de amigos e familiares. Até o início da noite deste sábado (5), as áreas de maior potencial de risco identificadas pelas equipes foram o Pontal da Barra e a Colônia de Pescadores Z3.

A fim de minimizar o impacto da elevação dos níveis, equipes do Sanep e da Secretaria de Serviços Urbanos e Infraestrutura (Ssui) realizaram diversas intervenções no reforço dos diques de Pelotas. Receberam os reparos necessários as estruturas localizadas no Simões Lopes e no Laranjal, além de uma contenção instalada junto à lateral do Quadrado. Uma nova estrutura de reforço começa a ser preparada na Estrada do Engenho.

As equipes da Prefeitura, junto ao Exército Brasileiro e demais forças de segurança, seguem o trabalho de monitoramento e remoção de famílias atingidas nos locais que apresentam potencial de inundação.

Doações

Alimentos não perecíveis são o principal item de doação solicitado pela Prefeitura neste momento. Os gêneros serão utilizados para abastecer os abrigos que irão receber o contingente de pessoas que precisará sair de suas casas. Cobertores também são bem-vindos.

Os donativos podem ser entregues na Secretaria de Assistência Social (SAS), na rua Marechal Deodoro, 404. O Paço Municipal, localizado na praça Coronel Pedro Osório, 101, também é outro ponto de coleta.

Como solicitar ajuda

O Município orienta que as pessoas que não residem em locais de risco permaneçam atentas às comunicações oficiais vinculadas ao perfis da Prefeitura e da Defesa Civil Estadual.

Havendo necessidade de ajuda, resgate ou auxílio em função de alagamentos e inundações, a população deve procurar a Defesa Civil, Brigada Militar ou Corpo de Bombeiros. A partir de um trabalho integrado entre as diferentes frentes, as demandas são segmentadas e atendidas de maneira mais ágil e efetiva. Os contatos podem ser realizados por meio do número 153, da Guarda Municipal, 193 do Corpo de Bombeiros, ou ainda, pelo 190 da Brigada Militar.