ARTIGO – SINCRONICIDADES NECESSÁRIAS

2712

SINCRONICIDADES NECESSÁRIAS
As labaredas de março!

Clayton Rocha

____________
.
Dependemos de um milagre lá no campo dos nossos melhores sonhos: uma meia cancha capaz de “incorporar” o espírito guerreiro de craques agora encantados: Caçapava e Birinha!
.
O Bento Freitas do próximo domingo, 20 de março de 2022, haverá de trocar o “Grito do Ipiranga” pelo hino de um povo, no qual o fogo e o Sol são benditos sinalizadores, mais a mata virgem à espera de um “grito de guerra”.
.
A torcida rubro-negra lá da Baixada saberá fazer isso, e em uníssono, sempre em nome das origens sofridas que se associaram à sobrevivência na dificuldade. Os nossos corações assalariados graças a Deus não sucumbiram aos acordos sombrios, espúrios e tão bem calculados desses túneis lamacentos dos ” fundos partidários”, preferindo entrar na casa pública pela porta da frente ou por nenhuma outra porta desses ambientes, pois os corações emotivos entendem-se por música através dos sinais oriundos das explosões espontâneas das arquibancadas.
.
Talvez o nosso 2022 se resuma ao Bento Freitas e ao Colosso da Lagoa. Talvez não, até mesmo porque Zebras soltas são imprevisíveis. E se o nosso grito for levado a sério, valerá esperar até mesmo aquilo que é tido hoje como impossível.
.
Ontem, em busca de avisos antecipados quanto a esse tão esperado 20 de março de 2022, fiz algumas fotografias noturnas envolvendo fogo e energias da mata, ansioso por sincronicidades necessárias. Pois acho que deu certo!

Estou enxergando agora alguns sinais indígenas com uma roupagem muito bem definida, saídos lá do meio da labareda alta, enquanto me pergunto sobre os seus significados. Observe agora, caro leitor, as luminosidades e os formatos desses vultos postos a serviço de sonhos possíveis.
.
Ao concluir, inteiramente envolvido pela esperança diante destas “labaredas de março”, declaro acreditar em recados vindos de um fogo noturno cuja silhueta seja capaz de exibir desenhos surpreendentes e acima de tudo emblemáticos.
E você?