10 MOTIVOS PARA ACOMPANHAR O 11º FESTIVAL INTERNACIONAL SESC DE MÚSICA EM PELOTAS

280
O evento tem como objetivo incentivar o desenvolvimento da produção musical. Foto: Divulgação.

Um dos maiores eventos de música de concerto da América Latina acontece de 16 a 27 de janeiro de 2023

Cidade marcada por sua história cultural, Pelotas se prepara para receber mais um Festival Internacional Sesc de Música. O evento, um dos maiores de música de concerto da América Latina e que promete encantar a comunidade, terá sua 11ª edição de 16 a 27 de janeiro. Cerca de 40 mil pessoas de diversas partes do Brasil e do mundo são aguardadas para as aulas e também para prestigiar os espetáculos, que são totalmente gratuitos.

Inovando a cada ano, o Festival terá uma programação repleta de atrações para os mais variados gostos. Reforçando a importância da música e seu poder de transformação, em 2023, o Sesc/RS homenageia os compositores Johannes Brahms, Heitor Villa-Lobos, Camargo Guarnieri e Avendano Júnior, este último, pelotense. Confira 10 motivos para acompanhar o evento e veja mais detalhes no site www.sesc-rs.com.br/festival.

  1. 60 espetáculos em 12 dias

Apresentações de professores, alunos e artistas convidados em diversos locais de Pelotas compõem a programação, que terá, além dos tradicionais concertos no Theatro Guarany e Teatro Sicredi, o Festival na Comunidade, com música em hospitais, igrejas e outros ambientes. A Praia do Laranjal e a Bibliotheca Pública Pelotense também serão palcos das apresentações, que são gratuitas e acontecem em vários horários para alcançar um grande público.

  1. Músicos de 11 países

O Festival levará a Pelotas professores, além do Rio Grande do Sul, de São Paulo, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Brasília. De fora do Brasil, somam-se outros dez países representados: Estados Unidos, Chile, China, Itália, Portugal, Rússia, Bielorússia, Japão, Argentina e Bulgária. Especializados em diversos instrumentos e reconhecidos nas mais tradicionais orquestras do mundo, os educadores repassarão seus conhecimentos para cerca de 350 alunos.

  1. Orquestras Jovens

Com 51 integrantes no total, as Orquestras Jovens dos Sesc Pernambuco, Pará, Paraíba, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Roraima, Maranhão e Piauí participarão tanto do eixo Pedagógico, com aulas no Núcleo Social, quanto do Sociocultural, com apresentações em diferentes formações instrumentais. Vindos de realidades de vulnerabilidade social, os jovens encontram na música uma forma de transformar suas vidas.

  1. Avendano Júnior e a tradição do choro em Pelotas

Pelotense, o músico e compositor Assumpção Avendano Júnior é um dos homenageados da 11ª edição do Festival. Precursor do choro na cidade e uma das figuras mais célebres do ritmo no país, Avendano será lembrado em um recital no dia 19/01, às 19h, na Bibliotheca Pública Pelotense, pelos músicos brasileiros Mathias Behrends Pinto, Lucian Krolow, Matheus Kleber, Elias Barboza, Guilherme Sanches, Alexandre Susin, Fernando Deddos, Albert Khattar e Marcelo Barboza. No dia 25, às 20h30, o clássico palco do Theatro Guarany apresentará “Avendano Júnior: a tradição do choro em Pelotas”. O repertório do espetáculo terá clássicos do compositor, além de revisitar a memória coletiva e sonora das noites boêmias no Bar Liberdade.

  1. Vitor Ramil canta na cidade natal

Cantor, compositor e escritor, Vitor Ramil nasceu em Pelotas, mas fez sua carreira conhecida no Brasil e no mundo. No dia 21/01, às 20h, ele retorna à cidade natal para apresentar um concerto ao lado da Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, sob a regência do maestro Evandro Matté. Além de outros clássicos da música brasileira, na Praia do Laranjal, Ramil interpretará alguns de seus sucessos como “Estrela, estrela”, “Satolep”, “Milonga de los morenos” e mais.

  1. Orquestra Mundana Refugi

Formada por músicos, além do Brasil, imigrantes e refugiados do Congo, China, Cuba, França, Guiné, Irã, Palestina, Síria, Turquia e Venezuela, a Orquestra Mundana Refugi reflete em suas apresentações a multiplicidade cultural que a compõem. O concerto, que acontecerá no dia 17/01, às 20h30, no Theatro Guarany, terá direção musical de Carlinhos Antunes, em uma mistura de música brasileira, africana, latina e europeia. Entre os instrumentos, destacam-se alaúde, duduque, ronroco, charango, djembe, derbak, harpa chinesa, acordeon, clarinete, flauta, bateria, piano, baixo e violino.

  1. Ópera Cavalleria Rusticana 

Obra-prima do compositor italiano Pietro Mascagni (1863-1945), a montagem “Cavalleria Rusticana (1890)” será apresentada pela Companhia de Ópera do Rio Grande do Sul (CORS), no dia 19/01, às 20h30, no Theatro Guarany. O elenco é formado por cantores da cena lírica gaúcha, interpretando a estreia da ópera em ato único, que aconteceu em 17 de maio de 1890 no Teatro Constanzi, em Roma, e é considerada uma das primeiras composições do realismo operístico italiano ou verismo. São eles: Eiko Senda como Santuzza, Daniel Germano no papel de Alfio, Carolina Braga será Lola, Lazlo Bonilla é Turiddu, Angela Diel como Lucia e Fernando Rauber no piano. O coro da Sociedade Música Pela Música, sob a regência e preparação de Sérgio Sisto, fará uma participação especial.

  1. Festival na Comunidade

Defensor da democratização da cultura, o Sesc/RS proporcionará no 11º Festival Internacional Sesc de Música 24 apresentações através do Festival na Comunidade. Os espetáculos acontecerão em hospitais, igrejas, praças, na Casa da Música, Campus da Saúde da Universidade Católica de Pelotas, na rodoviária e em outros pontos, possibilitando que mais pessoas acompanhem o evento. Alguns concertos são para público e interno e, os que serão na rua, podem ser transferidos por conta de instabilidade climática. Os detalhes podem ser conferidos no site.

  1. A Praia do Laranjal

Banhada pela Lagoa dos Patos, com os balneários Santo Antônio, Valverde e dos Prazeres, a Praia do Laranjal é um convite para quem quer, não apenas curtir o verão tomando um sol ou um banho de lagoa, mas também apreciar boa música. O Palco do Festival será montado na beira do Laranjal, onde a comunidade poderá ver espetáculos com a Banda Sinfônica Acadêmica e a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro e Vitor Ramil.

  1.  A cidade histórica

Para quem prefere turismo urbano, a cidade de Pelotas é repleta de lugares incríveis. Belas construções arquitetônicas como o Theatro Guarany, a Bibliotheca Pública Pelotense e o Mercado Público são opções para os visitantes, assim como atrações ao ar livre, como a Charqueada São João e a Fonte das Nereidas, na Praça Coronel Pedro Osório. Quem estiver no Festival, não pode deixar de provar os tradicionais doces de Pelotas, em especial o camafeu, o quindim e o pastel de Belém, que evidenciam a influência e a tradição portuguesa no município.

Equipe que coordena o Festival Internacional SESC de Música. Luis Fernando Parada, gerente regional SESC; Maestro Evandro Matté, coordenador musical; Silvio Bento, coordenador cultural e Gilmar Bazanella, secretário de turismo de Pelotas.

Sobre o Festival Internacional Sesc de Música

Em sua 11ª edição, o evento tem como objetivo incentivar o desenvolvimento da produção musical, fomentar o intercâmbio e o desfrute de bens culturais. Promovido pelo Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, em parceria com a Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo, e tendo como diretor artístico o maestro Evandro Matté, o Festival atua em dois eixos principais: Pedagógico e Sociocultural. No plano Pedagógico, são ofertados cursos de instrumentos, composição, canto lírico, choro, prática de música de concerto e câmara, prática de orquestra e prática de banda sinfônica para estudantes e profissionais da música.

Já no Sociocultural, são realizados recitais de professores e alunos, além de uma ampla programação de espetáculos gratuitos, abertos a toda comunidade. Para este ano, o Festival conta com o patrocínio master da CMPC, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), apoio do Grupo Panvel, apoio cultural da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Bibliotheca Pública Pelotense, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e Expresso Embaixador e apoio institucional da Prefeitura Municipal de Pelotas.

Sobre o 11º Festival Internacional Sesc de Música

O que é? O Festival Internacional Sesc de Música é um dos maiores da área na América Latina e tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento da produção musical e fomentar o intercâmbio e o desfrute de bens culturais

Data: De 16 a 27 de janeiro de 2023, em Pelotas

Como acontece? Durante o Festival, os alunos participam das classes (cursos) e ensaios nos turnos da manhã e tarde; e apresentações que podem ocorrer pela manhã, tarde ou noite. Todas as apresentações têm entrada franca para a comunidade

Classes de Música de Concerto: turno da manhã

Classes de Canto Lírico e Choro: manhã e tarde

Ensaios de orquestras, música de câmara: turno da tarde e vespertino

Ensaios de recitais de alunos: manhã e tarde (a combinar com o coordenador da área)

Ingressos: Entrada gratuita para todos os espetáculos, mas para as apresentações no Theatro Guarany e no Teatro Sicredi, é necessária a retirada antecipada de ingressos na Rua Lobo da Costa, 849, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h30. Há limite de um par por pessoa, conforme o cronograma: Nos dias 10, 11, 12 e 13 retiram ingressos para espetáculos de 16, 17, 18 e 19; nos dias 14, 17, 18 e 19 de janeiro são entregues para 19, 22 e 23; e 20, 21, 23 e 24 distribui ingressos para os dias 24, 25 e 26. Quem não conseguir buscar com antecedência, pode tentar uma hora antes de cada concerto na entrada dos teatros, onde haverá um número limitado de ingressos à disposição. Sugere-se a doação de 1kg de alimento não perecível por pessoa para o programa Mesa Brasil Sesc.