PSD CONFIRMA ANA AMÉLIA LEMOS COMO CANDIDATA AO SENADO EM ALIANÇA COM EDUARDO LEITE. LASIER MARTINS FICOU SEM ESPAÇO

25
A ex-senadora e ex-Secretária de Estado do RS de Relações Federativas e Internacionais, Ana Amélia Lemos.
A jornalista Ana Amélia Lemos foi confirmada como candidata ao Senado na chapa do ex-governador Eduardo Leite, em convenção do PSD nesta segunda-feira, 01.08, no Auditório Dante Barone. Com isso, a aliança que sustenta a candidatura do tucano tem agora seis partidos: PSDB, Cidadania, MDB, PSD, Podemos e União Brasil. Este último ainda poderá rever a decisão aprovada em convenção, por ter perdido a vaga de vice para o MDB.

Eduardo Leite e seu vice, Gabriel Souza (MDB), prestigiaram a convenção e foram ovacionados pela barulhenta torcida dos deputados gremistas Danrlei de Deus e Gaúcho da Geral, que agia como se estivesse no estádio. A confirmação de Ana Amélia na aliança deixou no relento o senador Lasier Martins, do Podemos. Seu partido aderiu à coligação, mas não conseguiu garantir vaga para o senador, já que Leite tinha compromisso com Ana Amélia desde que ela entrou no PSD. Lasier ainda não decidiu o que fará.

Ana Amélia demorou para confirmar a aliança com Eduardo Leite porque temia uma possível candidatura do ex-governador José Ivo Sartori. Os líderes do MDB convidaram a ex-senadora para integrar a chapa até então liderada por Gabriel Souza e o PSD esteve a um passo de fechar o acordo, no início de junho. Diante da incerteza sobre o que faria o MDB, o PSD recuou e esperou pela convenção. Agora estão todos juntos.

Em seu discurso, Gabriel reconheceu que buscou insistentemente a aliança com Ana Amélia. O vice da chapa também minimizou a divergência interna do MDB: Senadora Ana Amélia, tu sabes o quanto eu estive procurando estar ao teu lado. Acho que o destino nos uniria de qualquer forma, Eduardo, e certamente vamos fazer uma campanha da paz, sem agressões, olhando para o futuro — afirmou o deputado.

Último a falar, Eduardo Leite deu o tom da campanha falando sobre a necessidade de manter as contas públicas em dia. O candidato tucano elogiou Ana Amélia e lembrou da recente aprovação pela Câmara de uma proposta de autoria da então senadora que proíbe a União de criar novas despesas sem indicar a fonte de receita. — Aqueles populistas que defendem gastos desenfreados sem qualquer controle oferecem resultados no curtíssimo prazo com problemas gravíssimos no médio e longo prazo — discursou.