NOVO DESEMBARGADOR DO TJ-RS É PELOTENSE

640
Eduardo Augusto Dias Bainy é um dos novos desembargadores do RS.

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça definiu na última segunda-feira, 12.12, durante a Sessão Administrativa, a promoção de sete novos Desembargadores. Todos eles são Juízes de Direito e participaram do processo de escolha que constou no Edital nº 0016/2022, do Departamento de Magistrados (DMAG). Na lista consta o juiz pelotense Eduardo Augusto Dias Bainy, filho do Dr. Elias João Bainy e da Dra. Olga maria Dias Ferreira, muito relacionados em Pelotas. Tem 61 anos, é formado em Direito pela turma de 1985 da Universidade Federal de Pelotas. Foi pretor em Caxias do Sul, até ser aprovado para a magistratura, tendo trabalhado nas comarcas de Pinheiro Machado, Rio Grande e Porto Alegre; de 2007 a 2017 esteve com juiz titular do pleno do TJE; atualmente está respondendo pela 1ª Vara de Família do Foro Regional da Tristeza em POA.

Foram promovidas(os)  as(os) seguintes magistradas(os):

1ª Vaga – Merecimento – João Ricardo dos Santos Costa

2ª Vaga – Antiguidade – Eduardo Augusto Dias Bainy

3ª Vaga – Merecimento – Márcia Kern

4ª Vaga – Antiguidade – José Vinicius Andrade Jappur

5ª Vaga – Merecimento – Vanessa Gastal de Magalhães

6ª Vaga – Antiguidade – Roberto Arriada Lorea

7ª Vaga – Merecimento – Luiz Antônio Alves Capra

A Presidente do TJ, Desembargadora Iris Helena Medeiros Nogueira (também pelotense), em seu pronunciamento, parabenizou os promovidos, desejando amplo êxito nas novas funções. “Sejam todos bem-vindos entre nós e desejo que todos sejam muito felizes nesta etapa tão importante em suas carreiras”, disse ela. A magistrada também elogiou o trabalho desenvolvido pela Comissão de Promoção, presidida pelo 1º Vice-Presidente do TJ, Desembargador Alberto Delgado Neto, atuando em parceria com a equipe da Corregedoria-Geral da Justiça.

O Corregedor-Geral, Desembargador Giovanni Conti, também parabenizou os futuros Desembargadores e citou o ótimo trabalho desenvolvido pelos magistrados e servidores da CGJ no processo que definiu os promovidos.