HOSPITAIS ADIAM EM DEZ DIAS DESATIVAÇÃO DE LEITOS

111
Leitos de UTI podem também sofrer diminuição de oferta em Pelotas. Foto: Internet

Em colaboração com o Jornal Tradição

Os hospitais filantrópicos de Pelotas decidiram pelo adiamento por 10 dias da decisão de desativação de 34 leitos clínicos por 10 dias. A medida foi tomada após reunião na manhã desta quarta-feira (1º) entre representantes das instituições, na Beneficência Portuguesa. A medida acolhe pedido da Prefeitura, encaminhado via ofício, para prorrogar o prazo anterior que venceu na terça-feira (31).

“Manifestamos de antemão a impossibilidade de prorrogação posterior sem que haja solução apresentada”, indica ofício encaminhado à prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) nesta quarta assinado pelo diretor executivo da Beneficência Portuguesa, Armando Manduca; diretor geral do Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP), Márcio Slaviero; diretor administrativo da Santa Casa de Pelotas, Régis Pinto e Silva; e o administrador do Hospital Espírita de Pelotas, Tiago Martino.

No documento, as instituições afirmam que reconhecem a parceria e participação ativa na busca por recursos, “porém ainda não tivemos solução que nos apresente viabilidade de manter os serviços”.

O grupo aponta que houve agravamento das condições financeiras e que o prejuízo operacional mensal alcança R$ 4 milhões.

Eles citam que não houve possibilidade de recursos financeiros municipais e alternativas sustentáveis por meio do governo do Estado. Com isso, esperam que as soluções encontradas possam surgir a partir de agendas com o Ministério da Saúde “afim de evitar o fechamento destas três unidades de internação e na sequência a redução de outros serviços especializados como as Unidades de Terapia Intensivas (UTIs), os serviços de cardiologia, oncologia, maternidade e de saúde mental”.

Também por meio do ofício 659/2023, na terça-feira a prefeita informou aos gestores que há uma reunião agendada para a próxima segunda-feira (6), às 14h, entre a secretária municipal de Saúde, Roberta Paganini, e a Equipe Técnica da Rede de Urgência e Emergência (RUE). O texto cita também a possibilidade de agenda com a ministra da Saúde Nísia Trindade, a partir de articulação de deputados da região.

Outra ação apontada como positiva pela prefeita é uma reunião com secretário de Atenção Especializada à Saúde (SAES). Na justificativa para o pedido de adiamento, a prefeita argumenta que “existem perspectivas concretas de diálogo com o Ministério da Saúde nos próximos dias objetivando o aumento do teto previsto”.

À reportagem, Roberta afirmou que somente responderia por meio da Assessoria Especial de Comunicação (Ascom) da Prefeitura. A Ascom, por sua vez, afirmou estar em regime de plantão pelo feriado de Finados e que somente iria responder na segunda-feira (6).

Relembre

No dia 27 de setembro, gestores dos quatro hospitais apresentaram a situação financeira das instituições, indicando um déficit mensal de R$ 3 milhões. Na mesa também estavam a prefeita e a titular da Saúde de Pelotas.

No dia 17 de outubro, em reunião na sede da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), Paula informa aos gestores da região sobre o anúncio de fechamento de 34 leitos clínicos das quatro instituições até o fim de outubro e de 30 leitos de UTI até o fim de novembro.

No início da semana, durante o 33º Congresso do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (COSEMS/RS), Roberta e Slaviero se encontram com o secretário adjunto da SAES e agendam reunião com o titular da pasta.