DE NOVO: BANDEIRA VERMELHA EM PELOTAS!

417

Nesta rodada, o mapa passa a ter 21 regiões. Desmembrada de Porto Alegre, que já se encontrava há várias semanas sob a classificação de risco alto, a 21ª região Covid passou a vigorar na quinta-feira (6/8) e reúne os 19 municípios das regiões Carbonífera e Costa Doce, recebendo o nome de Guaíba. Pelotas volta a estar em bandeira vermelha ou seja com o risco epidemiológico alto na versão preliminar do mapa. Pelotas então encontra=se na mesma situação que  Guaíba, a nova região, Capão da Canoa, Palmeira das Missões, Erechim, Bagé e Uruguaiana. As regiões de Novo Hamburgo, Porto Alegre, Canoas, Taquara e Passo Fundo já estavam na bandeira vermelha na 13ª rodada e foram mantidas. A região de Lajeado apresentou melhora nos indicadores e reduziu para a bandeira laranja.

Conforme o mapa preliminar, 275 municípios (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 7.759.635 habitantes, ou seja, 68,5% da população gaúcha (total de 11.329.605 habitantes). Os pedidos de reconsideração serão avaliados pelas equipes técnicas do governo. A decisão será tomada pelo Gabinete de Crise na segunda-feira (10/8) e, à tarde, o mapa definitivo, vigente a partir de terça (11/8), será divulgado.

LOCKDOWN EM PELOTAS

Prefeita articula força-tarefa de controle do lockdown

Secretarias municipais, Brigada Militar e Polícia Civil estarão nas ruas em tempo integral durante o bloqueio

Segurança e fiscalização fortalecem os elos de integração e montam força-tarefa, com estratégias definidas, para fazer valer as regras do lockdown no Município, com início às 20h deste sábado (8) e término ao meio-dia de terça-feira (11). Os objetivos do bloqueio são a contenção da disseminação do novo coronavírus e o equilíbrio do sistema hospitalar. Pelo menos quatro táticas estão ajustadas: barreiras volantes nas principais vias da cidade; atendimento a denúnciaspoliciamento permanente nos pontos críticos para aglomerações; e abordagens de policiais a paisano (sem farda).

Secretarias de Segurança Pública (SSP/Guarda Municipal), Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGCMU) e Saúde – Vigilância Sanitária (Visa/SMS), aliadas à Brigada Militar (BM) e à Polícia Civil (PC), estarão nas ruas, ininterruptamente, para diálogos com motoristas e pedestres em deslocamento, e fiscalização em comércio, indústria e serviços.

Guarda Municipal

O máximo do efetivo da GM atuará durante o lockdown, participando das estratégias de barreiras rápidas volantes, que cobrirão todo o município, do atendimento a denúncias, e do policiamento em pontos críticos de aglomerações.

O secretário Samuel Ongaratto informou que os guardas poderão, inclusive, acompanhar pessoas que estão nas ruas. Por exemplo: se alguém for abordado e justificar que vai a uma farmácia, o policial tem autorização para ir junto, certificando-se de que é verdadeira a declaração do pedestre. O mesmo também está sujeito a ocorrer com condutores de veículos.

Gestão da Cidade e Mobilidade

A SGCMU reforçará a atuação na fiscalização de atividades não permitidas pelos dois decretos municipais – o do lockdown e o complementar. O secretário Jacques Reydams antecipou que as equipes atuarão junto ao comércio, indústria e serviços. Ao se deparar com algum estabelecimento aberto e funcionando, no Centro ou nos bairros, prestarão orientação para que interrompam as atividades e fechem o local. Não havendo receptividade, aplicarão as penalidades previstas.

Transporte e Trânsito

Agentes de Trânsito farão fiscalização ininterrupta, nas principais vias da cidade, durante a suspensão das atividades não essenciais. “Veículos serão abordados, para que condutores e passageiros informem aonde vão e a necessidade do deslocamento”, salientou o secretário Flávio Al-Alam.

A fiscalização do trânsito, além de abranger veículos particulares, será exercida em relação ao transporte alternativo – táxis, mototáxis e carros de aplicativos. Só poderão ser transportadas pessoas com destino a locais autorizados a funcionar.

Saúde – Vigilância Sanitária

A Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde (Visa/SMS) intensificará as vistorias, no Centro e nos bairros, quanto a empresas que trabalhem com produtos ou serviços sob inspeção higiênico-sanitária. “A fiscalização fará um verdadeiro patrulhamento, além de apurar denúncias. O estabelecimento que estiver aberto será orientado a fechar imediatamente. A Visa usará seu poder de polícia administrativa, podendo penalizar os infratores”, frisou o chefe da Vigilância, Sidnei Louro Jorge Júnior.

Nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (Ilpis) e nas comunidades terapêuticas, sob responsabilidade da Visa, estarão proibidas visitas durante o lockdown. “Somente funcionários poderão entrar, e profissionais ou serviços de saúde, em casos de urgência ou emergência”, explicou Jorge Júnior.

Brigada Militar

Os policiais participarão das barreiras volantes, ficarão nas áreas de costumeira concentração de pessoas, atuarão nas abordagens a pedestres e veículos, e também se farão presentes a paisano.

“Toda a estrutura de retaguarda do Batalhão estará nas ruas para garantir respeito ao lockdown, integrada às demais forças de segurança”, afirmou o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Facin.

Ao solicitar que cada cidadão dê a sua contribuição de respeito, de solidariedade ao coletivo, não saindo às ruas, o comandante assinalou que o atendimento a denúncias faz parte das estratégias, com o intuito de dissipar agrupamentos e deslocamentos nas vias públicas.