ARTIGO – UNIÃO GAY

506

União gay

Dr. Nei Guimarães Machado

Tenho aprendido, ao longo da vida, o que é saber aceitar as diferenças. Sejam elas de gênero, cor, religião, futebol, etc. Relevar essas diferenças é uma das chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros.

Dito isto, tratemos do tema referido no título desta crônica, pois aprender a se adaptar é o melhor que podemos fazer enquanto estamos vivos.

Comecemos por tentar entender o que é homossexualidade, ou melhor dizendo, o que não é. Não é opção! Optar é um ato consciente de vontade. Você, leitor, optou por ler esta matéria, mas havia outras que poderiam ter chamado sua atenção e que deixou para depois. Tampouco você, se é heterossexual, escolheu ser assim. Quando chegou lá na adolescência e começou a fazer suas escolhas objetais, se deu conta que gostava de alguém do sexo oposto. Portanto, repetindo, homossexualidade não é opção, mas sim uma organização da libido que tem a ver com aspectos genéticos e ambientais, da mesma maneira que a heterossexualidade.

Não existem estudos estatísticos de populações inteiras para saber o percentual de cada organização sexual, mas podemos supor que em torno de 80% das pessoas se organizam de forma heterossexual e os demais 20%, homossexuais. Portanto, a homossexualidade é um aspecto da natureza humana, como o é a heterossexualidade.

Por que tanto ódio? Porque o diferente nos assusta, nos confronta, nos faz pensar. E pensar dói! Pensar em si mesmo, em como se tem vivido, o que se tem feito pelo outro, o quanto alguém “diferente” de nós pode viver melhor do que nós! E por aí vamos. Não é atoa que em todas as culturas sempre existiram, e continuarão existindo, os bolsonaros da vida!

Reconhecer estas uniões já deveria ter ocorrido há muito tempo, dando a elas os mesmos direitos, e deveres, que às demais uniões entre homens e mulheres. Assim acontecendo a sociedade não vai se perder, não será o fim da família, nem o caos das relações humanas.

Para finalizar diria que deixemos de ser hipócritas ao pensar que a homossexualidade é uma “aberração humana”; no reino animal já se conhecem 450 espécies que têm indivíduos homossexuais.

*Dr. Nei Guimarães Machado – Médico Psiquiatra