ARTIGO – PAULO SOUZA MOREIRA, UMA HISTÓRIA… UMA MARCA CENTENÁRIA

354
Paulo de Souza Moreira

PAULO DE SOUZA MOREIRA, UMA HISTÓRIA…     UMA MARCA CENTENÁRIA

Edemar Hölbig*

Nascido em 4 de janeiro de 1923, filho do imigrante português Justino de Souza Moreira e de Euraides Pereira Moreira, Paulo de Souza Moreira foi o segundo dos três filhos do casal. O primeiro chamava-se Rubens e o mais moço João.

Um autodidata, como ele mesmo se definiu, tinha na leitura sua grande paixão. Contava sempre com orgulho que, quando da sua alfabetização, a professora ofereceu um livro como prêmio para aquele que primeiro aprendesse a ler. E foi ele o vencedor.

Em 1937, com 14 anos começa sua vida profissional como office boy, na Farmácia Khautz. Dois anos depois (1939), já como auxiliar de escritório, passa a trabalhar na Livraria do Globo. A proximidade com os livros facilitou-lhe a dedicação à leitura. Nesta época, conhece a obra de Dale Carnegie, “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, “Como evitar preocupações e começar a viver”, etc. Estas leituras influenciaram de modo definitivo na maneira positiva de encarar a vida e o futuro.

Em 1942, ainda como funcionário de escritório, vai para a Fábrica de Óleo (Naoli) e lá permanece por dois anos, até 1944, quando começa a trabalhar na Texaco, dando início então ao ramo em que abraçou, o do Petróleo.

Além do Petróleo descobre nesta fase outra paixão. Pelo fato de trabalhar em uma companhia americana e perceber a importância de conhecer a língua inglesa, decide estudar o idioma, e assim, permaneceu estudando inglês por toda vida.

O estudo formal foi conciliado com as atividades profissionais na clássica forma do “trabalha de dia, estuda de noite”, aulas inclusive aos sábados, como gostava de lembrar. Após concluir o primário na Escola Brasileira, ingressa no noturno do Ginásio Gonzaga, onde em 1945 forma-se em Contador pela Escola Técnica de Comércio de Pelotas, anexa ao Ginásio.

No escritório da Texaco de Pelotas, desempenha além das funções de escritório, as de vendas.

Casa-se em 10 de janeiro de 1948 com a jaguarense Ely Souza e Silva Moreira, com quem tem seus três filhos: Paulo, Rogério e Gilberto; resultando em cinco netos: Viviane, Henrique, Paula, Valentina e Gabriel; e tres bisnetos: Benjamin, Aurora e Pablo.

Como em 1951, a Texaco decide fechar o escritório de Pelotas, centralizando as atividades regionais na cidade do Rio Grande, é obrigado a mudar-se para lá.

Aí manifesta-se sua personalidade empreendedora. Decide demitir-se e dar início a um negócio próprio, escolhendo a cidade de Pelotas para viver e trabalhar.

Em 6 de maio de 1953, registra o início das atividades empresariais da Abastecedora de Produtos de Petróleo Ltda

Juntamente com o sócio e amigo Nicolau de Andréa, em 6 de maio de 1953, registra o início das atividades empresariais da Abastecedora de Produtos de Petróleo Ltda, com sede na Avenida Daltro Filho nº485, hoje Duque de Caxias, no bairro Fragata. Comercializando lubrificantes, combustíveis, mediante entrega nas granjas e, em especial, o Querosene Iluminante, largamente utilizado em lampiões e fogões na época.

Neste ano de 1953, dá início à realização do seu sonho: a construção do seu Posto de Gasolina.

Estuda o Plano Diretor da cidade e graças a sua visão, escolhe o entroncamento da avenida Argentina, hoje Fernando Osório, com a avenida Dom Joaquim, preterindo assim, pontos mais centrais que certamente trariam retorno mais imediato aos parcos recursos.

Para este empreendimento, contou com a confiança daquela que seria sua grande parceira nos anos seguintes, a Standard Oil (Esso), outra companhia de petróleo americana, a mais poderosa delas.

Inauguração, em 1955,do Posto Esso da Abastecedora de Produtos de Petróleo Ltda.

Inaugurado no dia 4 de junho de 1955, o Posto Esso da Abastecedora de Produtos de Petróleo Ltda, procura distinguir-se desde o início pela diversidade de produtos e o tratamento amigo dispensado a todos, marcando sempre por ser mais do que apenas um posto de abastecimento, mas um local de acolhimento.

Especializa-se continuamente em lubrificantes. Quase todas as companhias de petróleo tiveram no balcão de vendas de Paulo Moreira o local para o consumidor encontrar seus produtos.

Além de lubrificantes, baterias, pneus, lonas, filtros, auto e moto peças marcaram presença da empresa nestes anos no mercado.

A atenção dedicada aos seus colaboradores, marcam a administração do Seu Paulo. Responsabilidade e alegria colocadas junto à competência dos colegas funcionários da empresa fazem o diferencial das operações.

Posto Paulo Moreira em 1955.

Em 5 de maio de 1995, num evento único, a ESSO reuniu no Metropolitan, Rio de Janeiro, 3.500 pessoas. O revendedor escolhido como símbolo para ser homenageado foi o Sr. Paulo Moreira. Na cerimônia estavam presentes familiares do homenageado, levados num jatinho de Pelotas para participarem de surpresa na inesquecível homenagem.

Suas empresas caracterizam-se pelo pioneirismo, tendo suas instalações e imagens constantemente modernizadas, saindo vencedoras em diversas campanhas no setor de Postos de Serviços e de Lojas de Conveniências.

No ano de 2000, foi agraciado com o título de “Comerciante do Ano”, tradicional honraria concedida pela centenária Associação Comercial de Pelotas.

O seu primeiro posto de abastecimento completou 50 anos de fundação no ano de 2005.

Até 2007, aos 84 anos, manteve sua atividade empresarial junto aos seus filhos, Gilberto e Paulo, participando da administração de um dos mais respeitados e tradicionais grupos empresariais da nossa cidade. Hoje, 2023, o comando da Empresa, certamente para seu orgulho, está com o neto Henrique.

Em 2010, aos 87 anos, comparecia duas a três vezes por semana na empresa. Sua sala é ponto de reunião diária de seus amigos, até hoje – amizades formadas e consolidadas em torno de seu jeito acolhedor e democrático de agir. Uma das conquistas que mais se orgulha, os amigos.

Faleceu em 2 de setembro de 2013. Porém, é presença constante na lembrança de clientes e amigos que frequentam PAULO MOREIRA.

*Edemar Hölbig, dedicado colaborador por mais de 65 anos, assim disse: “Um homem sábio, amado por todos que tiveram o privilégio de conviver com ele. Me orientou na vida como se fosse um pai que não tive.”