ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ: MEDIDAS DE COMBATE À ESTIAGEM DEVEM SER ANUNCIADAS NO PRÓXIMOS DIAS – Podcast

283
Abertura da Colheita do Arroz – Foto: Paulo Rossi / Divulgação

ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ: MEDIDAS DE COMBATE À ESTIAGEM DEVEM SER ANUNCIADAS NO PRÓXIMOS DIAS – Podcast

Informação foi dada pelo vice-governador Gabriel Souza no ato oficial de Abertura da Colheita do Arroz em Capão do Leão
.
O ato oficial da Abertura da Colheita de Arroz e Grãos em Terras Baixas inovou este ano na 33ª edição do evento, ocorrendo no segundo dia de programação. Com a presença do vice-governador do Rio Grande do Sul, Gabriel Souza, de representantes de  entidades do agronegócio e diversas autoridades e parlamentares, o acionamento da colheitadeira na lavoura Breno Prates, foi realizado nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, na Estação Experimental da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS).
.
O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, ressaltou a responsabilidade em defender um setor que influencia na economia de mais de  200 municípios gaúchos. “Este protagonismo nos faz buscar sempre renda na lavoura. Esta renda hoje deve ser olhada de uma forma a trazer resultado econômico, seja  no arroz, na soja, no milho ou na pecuária”, afirmou. Velho disse, ainda, que é preciso ter alta produtividade para pagar um custo de produção que aumentou em média 60% nos últimos 2 anos.
.
Conforme o dirigente, o produtor de arroz teve que se reinventar e buscar alternativas. “Ele precisou intensificar a integração lavoura pecuária. O que é visto aqui não é só mais uma lavoura de arroz, mas junto estão as lavouras de soja e milho”, destacou. Velho lembrou também que o arroz gaúcho é mundialmente reconhecido pela qualidade, livre de resíduos e  atestado pela Anvisa. A questão da reserva de água também foi abordada pelo presidente da Federarroz, garantindo que não é mais possível postergar a solução em reservar água.
.
Outro ponto colocado por Velho, foi a pauta tributária. “A indústria gaúcha está encolhendo e precisamos trazer mais competitividade a esse segmento, o que acaba refletindo diretamente no produtor de arroz”, enfatizou, salientando que a Federarroz levará as pautas estruturais para trazer cada vez mais respeito por  esse produtor que tem uma indústria a céu aberto e que precisa cada vez mais ter o reconhecimento, tanto do governo estadual como do federal. “O arroz é o grande responsável pela segurança alimentar brasileira”, concluiu.
.
Durante sua fala no evento, o vice-governador do Estado informou que nos próximos dias o governador Eduardo Leite anunciará uma série de medidas em relação ao combate à estiagem e mitigação dos danos causados aos produtores. “Estamos vivendo novamente uma terrível estiagem e precisamos atuar em diversas frentes para solucionar esse problema”, observou. Gabriel Souza disse que quando se ouve falar  sobre a reservação de água é preciso admitir que muitos avanços já aconteceram nos últimos anos. “Tivemos um aumento no limite de hectares para licenciamento de reservação hídrica pelos municípios”, pontuou, afirmando que meio ambiente e produção rural caminham juntos.
.
Abertura da Colheita do Arroz – Presença de inúmeros produtores e autoridades. Foto: Carlos Queiroz Divulgação

O vice-governador lembrou que os produtores rurais do Rio Grande do Sul são responsáveis por 40%  do PIB do Estado, que é um dos celeiros do Brasil e no caso do arroz produz 70% da produção nacional. Disse que naturalmente muitos desafios se impõem e um deles é a mudança de manejo do solo através  do aumento da rotação de culturas. “O governo do estado tem preocupação com a  área da pesquisa a fim de aumentar a nossa produtividade e diminuir custos para o produtor”, finalizou.

.
A 33º Abertura Oficial da Colheita de Arroz e Grãos em Terras Baixas é uma realização da Federarroz, com a correalização da Embrapa e Senar/RS e patrocínio Premium do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do Irga.