ABEL DOURADO FALA SOBRE O POLO PETROQUÍMICO NO RS – Podcast

541
O então Secretário de Estado de Indústria e Comércio, Abel Abreu Dourado, discursa em solenidade que anunciaria o Polo Petroquímico no Rio Grande do Sul, no início dos anos 80.
Golbery era de Rio Grande e foi um ministro importante durante os períodos dos presidentes Ernesto Geisel e João Figueiredo.

O Polo Petroquímico do Sul constitui-se num empreendimento econômico e tecnológico de destaque no Rio Grande do Sul, desde a sua implementação no estado, que ocorreu no no início da década de 80. O objetivo era a retomada da industrialização no RS. É responsável por cerca de 95% do total da riqueza gerada no município de Triunfo e e 3,5% da riqueza do estado. O que poucos sabem é que foi um rio-grandino um dos articuladores da decisão da instalação deste mega investimento aqui em terras gaúchas: o ex-ministro de estado Golbery do Couto e Silva (foto ao lado). Na época a decisão contou com vivo apoio de diversos segmentos da sociedade gaúcha, dentre eles lideranças partidárias, associações empresariais e universidades, mas sobretudo a ação do então Secretário de Estado do Rio Grande do Sul da Indústria e Comércio, Abel Abreu Dourado – também de Rio Grande. Confira no Podcast histórico o depoimento de Abel Dourado sobre as negociações e o anuncio da vinda do Polo Petroquímico para o RS.

Podcast – Abel Dourado fala sobre a decisão de o Polo Petroquímico vir para o Rio Grande do Sul – 1974

LOCALIZAÇÃO

O Polo Petroquímico do Sul está localizado a cerca de 26 quilômetros de distância do centro de Triunfo, e a cerca de 52 quilômetros de Porto Alegre. Situa-se numa área verde de três mil e 600 hectares, contígua ao rio Caí, perto da sua desembocadura no rio Jacuí, que por sua vez desemboca no Lago Guaíba. Suas empresas estão numa área contornada por uma avenida, fazendo um “laço” no Polo, a partir da BR-386 e cerca de 6.300 pessoas trabalham no local.

INVESTIMENTOS

A implantação do Polo Petroquímico do Sul consumiu investimentos de 1,327 bilhão de dólares, aplicados na instalação das primeiras indústrias, na infra-estrutura básica e na estação de tratamento efluentes e nos anos seguintes, novas empresas foram instaladas. No final dos anos 90, 1,400 bilhão de dólares foram investidos na duplicação da capacidade produtiva do complexo industrial.