A LIÇÃO DE EURICO KRAMER DE OLIVEIRA: JAMAIS O SOL VÊ A SOMBRA!

204
Eurico Kramer de Oliveira – Um símbolo da Faculdade de Odontologia. Um dos grandes catedráticos da UFPel.
MEMÓRIA – Século XX
.
Por Clayton Rocha
.
A LIÇÃO DE EURICO KRAMER DE OLIVEIRA: JAMAIS O SOL VÊ A SOMBRA!
Um símbolo da Faculdade de Odontologia
Um dos grandes catedráticos da UFPel
____________________________
Eurico Kramer de Oliveira, casado com Dona Iara Passos de Oliveira, marcou época em Pelotas, no RS e no país. O casal teve 7 filhos, e Eurico recebeu, em marcante solenidade na Faculdade de Direito de Pelotas, o título de “Professor Emérito da UFPel”. A solenidade foi prestigiada pelo ministro do STF Paulo Brossard de Souza Pinto.

Ele merece muitas postagens por conta de seus feitos na atividade docente e nas grandes causas comunitárias. Hoje, a primeira delas! Na sequência, um tocante depoimento de seu filho Otávio Passos Oliveira, Psiquiatra, residente em Porto Alegre. O doutor Eurico Kramer de Oliveira foi escolhido pela Faculdade de Odontologia da UFRGS, sediada em Pelotas, para defender a criação da Universidade Federal de Pelotas, UFPel, e empunhou essa bandeira com raro brilho.

Falando ao 13 Horas, após a histórica sessão solene realizada no Salão de Atos da Faculdade de Direito de Pelotas quando recebeu o título de “Professor Emérito”, ele disse: – “Na época em que fui indicado pela minha Faculdade de Odontologia para participar e fazer parte de uma comissão requerida pelo prefeito municipal Dr. Edmar Fetter já tínhamos todas as condições para abrir a Universidade Federal”.

.
“Pelotas, como polo regional que era, já merecia a sua Universidade Federal. Houve tal empenho, à época, que até mesmo os fundadores das Faculdades de Direito e de Odontologia muito se empenharam em tratativas com autoridades políticas e educacionais do Rio Grande do Sul em defesa da nobre causa”, disse Eurico Kramer de Oliveira.
.
Muito emocionado lá no Salão de Atos do Direito, e tendo ao seu lado o ministro Paulo Brossard de Souza Pinto que o prestigiava na ocasião, o professor Eurico Kramer de Oliveira, catedrático de Odontologia, disse que se sentia em plena paz de espírito, pois “a UFPel está aí, essa Instituição Federal de ensino que vem espalhando tantos benefícios, onde, inclusive, formaram-se os meus filhos”. Na verdade – destacou – “tudo isso são fatos que me bastam e me enchem de satisfação por não ter negado a minha pequena mas necessária participação, pois ela foi solicitada para vencer as resistências e os temores, que sempre cercam ideias renovadoras de progresso”. O novo “Professor Emérito” da UFPel destacou ainda, na tarde a ele dedicada pela Academia, que ” como acontece sempre com todas as coisas que são criadas para o bem, Deus as protege”.
.
ALGUNS FEITOS DE EURICO KRAMER DE OLIVEIRA
.
Depois de restaurar o tradicional Clube Comercial de Pelotas durante a sua presidência, e de brilhar nacionalmente em sua área de especialização, Eurico Kramer de Oliveira ocupou a presidência, 1977/1979, do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, por sinal fundado durante o ano de 1970 em Brasília.
.
Pai de 7 filhos, (caberá ao doutor Otávio Passos Oliveira escrever tocante texto sobre ele), Eurico fundou o Parque Tênis Clube, PTC, e foi o seu primeiro presidente. Hoje é nome de rua no Jardim das Tradições, mas bem antes disso tudo ele cuidou, prioritariamente, da saúde e da educação de todos os seus filhos, como diz Otávio, e deu certo. E trabalhou, preponderantemente, nas áreas da saúde e da educação, conquistando, através delas, os patamares mais elevados em sua província, além da consagração nacional no mundo da Odontologia.
.
Sobre Eurico Kramer de Oliveira vale ainda dizer: – Os seus feitos, a sua obstinação, a sua palavra forte em defesa de grandes causas pelotenses nos mostraram que, se os pessimistas, lá naquele seu tempo, costumavam ver dificuldades em cada oportunidade; ele, ao contrário, na sua condição de eterno otimista, enxergava uma oportunidade em cada dificuldade!
.
O professor Eurico Kramer de Oliveira concordava – por certo – com aquela máxima irretocável de Leonardo da Vinci, segundo a qual jamais o Sol vê a sombra. E quanto a isso, convenhamos, os dois tinham, à parte os quase cinco séculos de distância, além de um oceano entre eles, uma louvável e fina sintonia. (CR).