RS PEDE SUSPENSÃO DO PROCESSO DE CRIAÇÃO DO PARQUE NACIONAL DO ALBARDÃO

90
Governo do estado do RS se manifesta contrário a criação do Parque Nacional do Albardão, pois compromete a economia do sul do estado e novos investimentos.
Estado, que se manifesta a favor da instalação de eólicas offshore no local, pede que Planejamento Espacial Marinho seja finalizado antes de qualquer proposta

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul oficiou o Instituto Chico Mendes de de Biodiversidade (ICMbio), solicitando a suspensão do processo de Criação do Parque Nacional de Albardão, no município de Santa Vitória do Palmar, até a entrega do Planejamento Espacial Marinho, contratado pelo próprio governo federal.

O envio do ofício é mais um capítulo da novela que se desenrola sobre o Parna de Albardão. O Governo do Estado é contra o traçado proposto pelo órgão ambiental, por ele excluir a possibilidade de instalação de usinas eólicas offshore no local.

“A criação do Albardão vai impedir sumariamente que o RS esteja inserido na transição energética, através do hidrogênio verde, já que impedirá projetos de energia éolica off-shore na região, entre outras questões que poderiam ser levantadas”, disse Gabriel Souza, vice-governador do RS.

O processo de consulta pública sobre a criação da nova unidade foi aberto no dia 12 de abril de 2024 pelo ICMBio. Duas audiências públicas já foram realizadas e o órgão ambiental federal tem até o dia 30 de maio para se manifestar.

O vice-governador do estado, no entanto, aponta “incoerência” do governo federal no processo. “É incoerente o governo federal contratar o Planejamento Espacial Marinho e, sem esperar os resultados, encaminhar a criação de parque nacional que impedirá vários projetos de energias renováveis naquela área”, disse Gabriel Souza.