MORRE CAO, EX-GOLEIRO DO BOTAFOGO E SELEÇÃO BRASILEIRA

40
Cao – de camiseta azul com a cores do RS – ao lado de seu amigo José Carlos Osório, o Tatalo.

Faleceu aos 76 anos o ex-goleiro Cao, personagem histórico do Botafogo, após não resistir a um aneurisma. No Botafogo, Luiz Carlos Pires de Queiroz atuou de 1965 a 1970 e 1972 a 1974 e foi bicampeão carioca e campeão brasileiro. Passou ainda por São Cristóvão, Grêmio, CSA e Dom Bosco e na Seleção Brasileira de 1970 como reserva de Félix e Leão.

O Botafogo prestará homenagem nesta quinta-feira, com um minuto de silêncio, antes do jogo contra o América-MG, pela Copa do Brasil, no estádio Nílton Saltos – Engenhão.

O Botafogo prestará homenagem nesta quinta-feira, com um minuto de silêncio, antes do jogo contra o América-MG, pela Copa do Brasil, no estádio Nílton Saltos – Engenhão.

Cao saiu do São Cristóvão para o Botafogo em 1965 e permaneceu por alguns anos na reserva de Manga, um dos maiores goleiros da história do futebol brasileiro. No banco de reservas, Cao conquistou o Campeonato Carioca em 1967. Após a saída de Manga, Cao foi o escolhido para assumir a meta botafoguense, onde permaneceu até 1970, conquistando mais um título carioca em 1968 e a Taça Brasil do mesmo ano, reconhecida como título brasileiro, o primeiro do Botafogo. Cao teve uma rápida passagem pelo Grêmio em 1971, mas foi prejudicado por uma lesão no joelho. Ele retornou ao Botafogo em 1972, sendo vice-campeão brasileiro daquele ano e ficou no clube até 1974. Pelo Fogão, Cao disputou 202 partidas e sofreu 181 gols. Ele ainda passou por outros clubes menores até se aposentar. Cao vivia aqui em Pelotas, a sua cidade natal.