MEMÓRIA DO TREZE HORAS: OS CRIADORES DO PROGRAMA

516
Clayton Rocha, Valdir Marques, Neiff Olavo Gomes Satte Alam e Vera Guido Satte Alam; Sentados: Ronoel Castro da Silva, o Barão, Professor Luis Carlos Corrêa da Silva e Ary dos Santos; em pé bem a direita o professor Isvani Ortiz Pinto.

O ‘MEMÓRIA DO TREZE HORAS’, deste domingo vai relembrar aqueles que criaram o programa junto com o jornalista Clayton Rocha. O primeiro grupo que, lá em 1978, começou a se reunir primeiro em torno de uma ideia de um debate diário, e depois em torno da mesa que consagrou um dos horários mais marcantes da radiofonia e tornando-se – hoje – um dos mais antigos programas de rádio do Brasil, ao estilo mesa de debates.

O Memória do Treze Horas publica a foto da reunião entre esses integrantes que faziam parte do então Curso PUG – Pré-Universitário Gonzaga – onde tudo começou. Clayton Rocha, Valdir Marques, Neiff Olavo Gomes Satte Alam, Vera Guido Satte Alam, Ronoel Castro da Silva, o Barão, Professor Luis Carlos Corrêa da Silva, Ary dos Santos e o professor Isvani Ortiz Pinto. Faziam ainda parte do grupo fundador as seguintes pessoas:

Professora Rosah Russomano

Professora Rosah Rossomano

Colunista Social e Estilista Carlos Alberto Motta

Carlos Alberto Motta

E Francisco Ribeiro da Silva, médico conhecido como ‘Dr. Chico Louco’.

Esses são então os primeiros participantes do Treze Horas e que ao longo de mais de quatro décadas já reuniu mais de 35 profissionais liberais, somando-se logo em seguida os jornalistas Luis Fernando Lessa Freitas, Deogar Soares e Raul Farina. Além de jornalistas e homens do rádio, que participam diariamente dos debates, também existem os convidados como políticos, formadores de opinião, gestores públicos e privados, candidatos à cargos eletivos e – é claro – a interatividade com os ouvintes, através dos canais de comunicação do programa. Hoje o Treze é transmitido do “Salão Amarelo”, do Edifício da Associação Comercial de Pelotas, em um amplo estúdio. O programa tem caráter opinativo e vai ao ar pontualmente às 13h05min de segundas às sexta-feiras. Os pelotenses sintonizam a emissora na frequência 1160 AM ou no site: http://ru.ucpel.edu.br. O Treze também está em todas as plataformas das redes sociais.

Jornalista Luis Fernando Lessa Freitas somou-se ao grupo logo em seguida aos primeiros programas.
Raul Domingos Farina, ao lado de Clayton Rocha, também marcou presença destacada durante muitos anos no Treze Horas.
Deogar Soares ainda jovem em um programa com músicos locais. Deogar foi também uma das vozes mais importantes do Treze Horas, integrando-se a equipe e marcando presença durante anos de Treze Horas.
Deogar Soares

O programa, com a equipe destacada hoje na foto principal desta matéria foi ao ar pela primeira vez no dia 6 de novembro de 1978. A ideia nasceu em Roma, durante o período do “Conclave” que elegeu o Papa João Paulo I. Naquele momento, a Rádio Universidade Católica de Pelotas fez a inédita transmissão da eleição de um Papa. Com a ideia do programa, e de volta a Pelotas, Clayton levou ao ar, pela primeira vez, o Pelotas Treze Horas e o debate contou então com a presença desses ilustres primeiros participantes que hoje destacamos no ‘Memória do Treze Horas’. Nestes 41 anos o programa foi transmitido de 04 continentes, sendo o segundo debate diário mais antigo do Brasil. Até hoje o Treze Horas é apresentado pelo radialista e jornalista Clayton Rocha, tendo como principal assunto o cenário político de Pelotas.