ELEIÇÕES 2022 – ATUALIZAÇÃO DO QUADRO NO RS

15
Atualização das CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS AO GOVERNO DO ESTADO
O calendário prevê que o período das convenções partidárias iniciou na quarta-feira, 20.07 e se estende até o dia 5 de agosto, uma sexta-feira. Confira as datas das convenções no RS, que irão definir os candidatos a governador, senador, deputado federal e deputado estadual:
  • PSC – ROBERTO ARGENTA

EMPRESÁRIO ROBERTO ARGENTA É CANDIDATO AO GOVERNO DO ESTADO PELO PSC

O PSC aprovou em convenção estadual nesta quarta-feira (20) a escolha de Roberto Argenta como candidato ao governo do Rio Grande do Sul. A oficialização da candidatura foi realizada no Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, no primeiro dia do período para realização das convenções partidárias, conforme o claendário do Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

VICE É DO SOLIDARIEDADE

O Solidariedade realizou sua convenção estadual na noite desta sexta-feira na Câmara de Vereadores de Porto Alegre e anunciou o nome da candidata a vice na chapa de Roberto Argenta (PSC). Mulher negra, Nivea Rosa é funcionária pública na área da saúde em Caxias do Sul, professora universitária e tem formação em Psicologia, com pós-graduação em Terapia Familliar, Aconselhamento Pastoral em Psicologia, Docência do Ensino Superior.

ROBERTO ARGENTA – Natural de Gramado, Roberto Argenta foi prefeito (de 1989 a 1992) e vereador (de 1993 a 1996) de Igrejinha, além de deputado federal (entre 1999 e 2003). Atualmente, atua como empresário.

  • PL – ONYX LORENZONI

PL INDICA ONYX LORENZONI PARA GOVERNADOR

O nome do ex-ministro e deputado federal Onyx Lorenzoni foi homologado como candidato do PL ao governo do Estado. Com o Teatro Dante Barone lotado de apoiadores, incluindo militantes do Republicanos, Patriota, União Brasil e PROS, partidos que estão juntos na corrida eleitoral.

ONYX LORENZONI – Nascido em Porto Alegre, Onyx Dornelles Lorenzoni tem 67 anos, é formado em medicina veterinária e é empresário. Ele participou da transição do governo de Michel Temer ao de Jair Bolsonaro e, na sua gestão, foi secretário-geral, ministro-chefe da Casa Civil e ministro da Cidadania e do Trabalho e Previdência. Antes disso, foi deputado estadual e deputado federal. Presidente-estadual do PL, Onyx voltou ao partido atual do presidente, já que tinha representado a sigla nas décadas de 1980 e 1990. Porém, grande parte de sua carreira política foi pelo DEM, que se fundiu com o PSL para formar o União Brasil. Pelo DEM (que, antes, era PFL), o porto-alegrense se candidatou duas vezes à prefeitura da capital gaúcha. Em 2004, ficou em terceiro lugar e, em 2008, ficou em quinto. Em ambos os pleitos, José Fogaça foi o eleito.

  • REPUBLICANOS APOIA ONYX

O Republicanos decidiu por apoiar Onyx Lorenzoni e indicar o candidato ao senado na chapa. Pela primeira vez em sua história o Republicanos lança candidato ao Senado pelo RS. O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, foi confirmado em convenção do partido na tarde deste sábado, na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre. Ele estará na chapa que tem Onyx Lorenzoni (PL), que participou do evento, na disputa pelo Palácio Piratini.

União Brasil – Sai da coligação com o PSDB e soma-se ao PL de Onyx Lorenzoni para indicar o vice.

  • NOVO – RICARDO JOBIM

NOVO INDICA RICARDO JOBIM

O NOVO aprovou neste sábado – 23.07 – em convenção realizada em Porto Alegre, a escolha de Ricardo Jobim como candidato ao governo do Rio Grande do Sul pela sigla. A oficialização da candidatura foi realizada no Hotel Quality. “A gente pode, sim, ter esperança em dias melhores, mas calcado em que, calcado na responsabilidade, calcado na verdade, calcado no exemplo e principalmente na transparência”, disse Jobim.

O advogado Rafael Dresch foi indicado como vice-governador. Ele é nascido em Porto Alegre, onde é professor na Faculdade de Direito da UFRGS. O evento ainda teve a presença de Tiago Mitraud, pré-candidato à vice-presidência da República na chapa de Felipe D’Ávila. Na convenção deste sábado foram definidas também 20 candidaturas a deputado estadual e 6 candidaturas a deputado federal pelo partido.

RICARDO JOBIM

Ricardo Jobim é advogado e empresário. Ele foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Santa Maria.

  • PSB – VICENTE BOGO

PSB anunciou a pré-candidatura de Vicente Bogo ao governo do estado

O PSB – Partido Socialista Brasileiro – anunciou, nesta segunda-feira (1º), a saída do ex-deputado federal Beto Albuquerque da disputa pelo governo do Rio Grande do Sul. “Está tudo muito difícil no nosso campo político. Ninguém dialoga mais como gente grande. Por isso não há mais avaliação tática e estratégica nas eleições”, diz.

O PSB anunciou que o ex-vice-governador Vicente Bogo será o novo candidato.

O PSB anunciou que o ex-vice-governador Vicente Bogo será o novo candidato, com Josiane Paz de vice e o vereador de Porto Alegre Airto Ferronato ao Senado. A legenda deve oficializar a nova chapa na quarta-feira (3). O partido buscava alianças com outras legendas, no entanto, não obteve sucesso. Unido com o PT na chapa presidencial, com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PSB não repetiu a coligação no estado.

Na quarta-feira (27), o diretório estadual do PSB chegou a publicar uma nota visando “manifestar seu descontentamento e desmentir as informações prestadas pela presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, de que o pré-candidato ao governo do Estado, Beto Albuquerque, teria desistido de disputar a corrida eleitoral”.

Em nota, o PSB afirmou que “as dificuldades de construção de alianças com o PT e com o PDT levaram o pré-candidato Beto, em decisão de fórum íntimo e pessoalíssimo a declinar de sua pré-candidatura o que lamentamos, mas respeitamos e agradecemos por todo o seu trabalho feito neste período”.

Natural de Passo Fundo, Beto Albuquerque tem 59 anos. O político foi foi deputado estadual entre 1991 e 1998, e deputado federal de 1999 a 2014. Naquele ano, Albuquerque foi candidato à vice-presidente na chapa de Marina Silva (PSB). Além disso, ocupou secretarias nos governos de Olívio Dutra e Tarso Genro, ambos do PT.

VICENTE BOGO

Vicente Joaquim Bogo – Rio do Oeste, 1957.

É professor, de uma família de 12 irmãos criados na agricultura. Estudou com os Salesianos de Dom Bosco (1971 a 1980). Licenciado em Ciências e Matemática (licenciatura curta); Licenciado em Filosofia e Psicologia (licenciatura Plena); Pós-graduado em Educação com Especialização em Administração Escolar; Pós-graduado em Filosofia Política e Pós-graduação em Sociologia (UFRGS). Iniciou sua carreira política no ano de 1982 em Santa Rosa, como vereador. Em 1986 elegeu-se Deputado Federa Constituinte, atuando na defesa do segmento agrário, empresarial e  e da cidadania. Na Assembleia Nacional Constituinte apresentou 111 projetos (emendas) obtendo a aprovação de 32. A mais relevante foi a que assegurou o direito de aposentadoria aos Trabalhadores Rurais (homens e mulheres). Em 1988 esteve entre os fundadores do PSDB Nacional e no RS.

Exerceu o mandato de vice-prefeito de de Santa Rosa de 1993 a 1994. Neste ano, elegeu-se vice-governador do Rio Grande do Sul, na chapa de Antônio Britto, cargo que exerceu de 1995 a 1998. Substitui o governador no exercício do governo 101 vezes. Enquanto Vice-governador, dentre outras contribuições, estruturou o RECONVERSUL (Programa de Revitalização da Metade Sul do RS). Articulista em vários jornais(O ALERTA, de Santo Cristo; O NOROESTE, de Santa Rosa; JORNAL FLORESTA, de Porto Alegre). Desde abril de 2015 atua como secretário do CODESUL/RS (Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul).

  • PSOL – PEDRO RUAS VECE DE EDEGAR PRETTO DO PT

PEDRO RUAS SERÁ O VICE- DE EDEGAR PRETTO

Em reunião na tarde desta sexta-feira (29), foi confirmado o nome de Pedro Ruas, ex-deputado estadual e vereador de Porto Alegre, como o pré-candidato a vice-governador na chapa de Edegar Pretto (PT). As negociações entre os dois partidos, que já vinham sendo costuradas desde a vinda do ex-presidente Lula ao Rio Grande do Sul, avançaram nos últimos dias e ganharam ainda mais força com o anúncio do ex-governador Olívio Dutra para o Senado, na segunda-feira (25).

Para Edegar Pretto não é por acaso que Olívio Dutra veio para a linha de frente e que a Federação PT, PCdoB e PV dialogou incansavelmente com o PSOL e a Rede Sustentabilidade. “Eu tenho muito orgulho desse momento. É com muita responsabilidade com o nosso Rio Grande do Sul que os nossos partidos construíram essa unidade. Foi muito diálogo, escuta e compromisso assumido conjuntamente. Nós vamos lutar muito para ter aqui no RS um palanque potente para o presidente Lula”, afirmou.

“Eu acho que as forças progressistas do estado, as forças que de fato representam o nosso povo, se unem para poder chegar a uma vitória histórica no Rio Grande. Esse é o nosso projeto, o nosso objetivo e, na minha opinião, em termos geracionais é a nossa obrigação. E é o que nós faremos”, salientou Pedro Ruas.

O encontro, onde foi feito o anúncio, ocorreu na casa de Edegar Pretto, com a presença do presidente do PT, deputado Paulo Pimenta; da presidenta do PSOL, deputada Luciana Genro e do vereador Roberto Robaina, nome do PSOL para ocupar suplência de Olívio Dutra. O segundo nome de suplente será indicado pelo PCdoB. Também participaram da reunião o presidente do PV, Marcio Souza; e o porta-voz da Rede, Andrezão Costa.

Pedro Ruas.

PEDRO RUAS

Pedro Luiz Fagundes Ruas, nasceu em Porto Alegre em 3 de janeiro de 1956, é advogado e iniciou militância ainda no antigo MDB. Quando Leonel Brizola voltou do exílio em 1979, construiu o PTB, e posteriormente o PDT junto com Brizola. Nos últimos anos, foi o vereador mais votado de Porto Alegre e eleito deputado estadual pelo Rio Grande do Sul pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Atualmente, atua como vereador em Porto Alegre, tendo sido eleito como o segundo mais votado para a câmara.

  • PDT – VIEIRA DA CUNHA
Nome do vice ainda não foi confirmado, e candidato disse estar em conversa com outros partidos para definir a composição da chapa

O PDT – Partido Democrático Trabalhista oficializou, na manhã deste sábado (30), a candidatura de Vieira da Cunha ao governo do Rio Grande do Sul. O nome do ex-vereador e ex-deputado federal e estadual foi confirmado durante convenção realizada no plenário Otávio Rocha, da Câmara de Vereadores de Porto Alegre

Carlos Eduardo Vieira da Cunha

VIEIRA DA CUNHA

Carlos Eduardo Vieira da Cunha, nasceu em Cachoeira do Sul em 31 de março de 1960. É Procurador de Justiça e vice-presidente da Internacional Socialista para a América Latina e Caribe. É filiado ao PDT desde 1981, Foi vereador, deputado estadual e federal, além de ter sido Secretário de Estado da Educação do Governo José Ivo Sartori até junho de 2016. Foi presidente da Assembleia Legislativa em 2004 e na Câmara dos Deputados foi presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional em 2007.

  • PP – LUIS CARLOS HEINZE

O PP-Progressistas referendou a candidatura do Senador Luiz Carlos Heinze ao Governo do Estado do Rio Grande do Sul na manhã deste sábado, 30.07. A convenção partidária aconteceu no auditório Dante Barone, na Assembleia Legislativa do RS e a chapa liderada por Heinze, tem as vereadoras de Porto Alegre Tanise Sabino (PTB), que vai concorrer a vice-governadora; e Comandante Nádia (PP), que vai ao Senado.

Luis Carlos Heinze

LUIZ CARLOS HEINZE

Luis Carlos Heinze nasceu em Candelária em 1950, é engenheiro agrônomo, foi prefeito de São Borja – 1993/1996 – e atualmente é Senador da República pelo Rio Grande do Sul. Em 1998 foi eleito para o primeiro mandato de Deputado Federal com 63.606 votos, e em 2002, foi reeleito com 132.395 votos. Quatro anos depois foi reconduzido ao cargo com 205.734 votos – o deputado mais votado do seu partido, o segundo do Rio Grande do Sul. Em 2010 Heinze foi reeleito para o quarto mandato com 180.403 votos – o terceiro deputado mais votado do RS e, novamente, o primeiro do seu partido. Em 2014, concorrendo ao quinto mandato consecutivo, Luis Carlos Heinze foi o deputado federal mais votado do Rio Grande do Sul com 162.462 votos. Nas eleições de 2014, realizadas em 5 de outubro, no quinto mandato consecutivo, foi eleito o mais votado novamente pelo RS. Em 2018, foi eleito senador pelo Rio Grande do Sul, obtendo 2.316.177 votos, o equivalente a 21,94% dos votos válidos.

  • PSTU – REJANE DE OLIVEIRA
Vera de Oliveira é militante histórica do partido e foi candidata a vice-prefeita na chapa de Júlio Flores, em 2020, para a prefeitura de Porto Alegre.

PSTU LANÇA REJANE DE OLIVEIRA COMO CANDIDATA AO GOVERNO DO RS

O PSTU oficializou, na tarde de sábado (30), a candidatura de  Rejane de Oliveira ao governo do Rio Grande do Sul. A única mulher que concorrerá ao Piratini nas eleições de outubro teve seu nome oficializado pelo partido durante convenção realizada no auditório do Cpers-Sindicato, em Porto Alegre. “Aceitei esse grande desafio de ser candidata ao lado da Rejane, porque cada vez mais o capitalismo tem mostrado sua face mais cruel, sua decadência, que combina machismo e racismo. Vamos defender nestas eleições que homens e mulheres, LGBTIs, brancos, indígenas, negros, imigrantes se unam para combater estas mazelas e construir uma sociedade socialista, verdadeiramente humanizada, respeitando a diversidade que de fato enriquece a nossa classe”, defendeu Vera.

Vera de Oliveira é militante histórica do partido e foi candidata a vice-prefeita na chapa de Júlio Flores, em 2020, para a prefeitura de Porto Alegre. Servidora federal aposentada, é reconhecida no Movimento Negro por sua “luta contra as opressões”.

As pré-candidatas Rejane de Oliveira, Vera de Oliveira e Fabiana Sanguiné formarão uma chapa completa para o governo e Senado, que deve ser oficializada  em convenção do partido, no próximo sábado, 30 de julho.

  • PCB – CARLOS MESSALA
Edson Canabarro, candidato a vice-governador, e Carlos Messala, do PCB — Foto: Reprodução/RBS TV

PCB – domingo, 31 de julho – On-Line

O PCB – Partido Comunista Brasileiro – aprovou em convenção estadual neste sábado (30) a escolha de Carlos Messala como candidato ao governo do Rio Grande do Sul. A sigla ainda definiu que Edson Canabarro será candidato a vice-governador. A oficialização da candidatura foi realizada de forma online.

Alianças

Na convenção deste sábado, foram definidas também duas candidaturas a deputado estadual e duas candidaturas a deputado federal pelo partido. O PCB não terá candidato ao Senado.

Trajetória política

Carlos Messala é natural de Gravataí e militante do Partido Comunista Brasileiro. Ele também é servidor público dos Correios.

  • MDB – GABRIEL SOUZA VICE DE EDUARDO LEITE
Deputado Gabriel Souza-MDB será o voce de Eduardo Leite segundo decisão da convenção partidária deste domingo em Porto Alegre.

Em convenção, partido abriu mão da candidatura própria e vai indicar vice de Leite

Neste domingo (31/07), durante a convenção estadual do MDB do Rio Grande do Sul, realizada na Assembleia Legislativa, o partido decidiu se aliar ao PSDB na disputa pelo governo do Estado e indicar o vice na chapa encabeçada pelo ex-governador Eduardo Leite. Também neste domingo, a convenção do PSDB confirmou Leite para a disputa ao Piratini. Apesar de a oficialização do nome do vice ainda depender da chancela da Executiva do MDB, está consolidado que ele será o deputado estadual Gabriel Souza, que até este domingo era o pré-candidato do MDB ao governo.

A candidatura própria foi derrotada no voto. Na cédula, os convencionais tinham que escolher entre duas alternativas. Gabriel Souza candidato a governador ou Indicativo MDB nacional (coligação do PSDB – indicação pelo MDB do candidato a vice). Dos 473 emedebistas que votaram 239 optaram pela aliança e 212 pela candidatura própria. Houve 18 votos nulos e quatro brancos. A escolha não foi pacífica mantém o racha do partido, dividido ao meio entre ter candidato ou apoiar os tucanos.

Lideranças como o ex-governador José Ivo Sartori, o ex-senador Pedro Simon e o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, todos contrários a união com o PSDB, optaram por votar logo na abertura dos trabalhos e deixaram o evento em seguida. Desta forma, não participaram do momento de discurso dos líderes e nem do ato político após o encerramento da votação.

Mesmo com as ausências, nos bastidores do evento continuaram as trocas de acusações que ocorrem há meses entre os grupos que se apresentaram como favoráveis à candidatura própria e os defensores do apoio a Leite. Todos se acusam de “jogo duplo”. Os contrários a aliança com o PSDB seguem afirmando que Gabriel se apresentava publicamente como candidato mas, internamente, trabalhou com força para ser vice de Leite.

Os apoiadores de Gabriel afirmam que parte das lideranças, como Melo, não entrou de fato na campanha pela candidatura própria, restringindo seus movimentos à declarações a imprensa e maniFestações em redes sociais. – Não fizeram campanha pela candidatura própria entre delegados no interior. Com exceção do Osmar (Terra), não pediram votos, não se empenharam em ligar para os delegados – aponta uma das lideranças próximas de Gabriel. A afirmação faz referência direta ao peso das coordenadorias que, em tese, são áreas de influência de Melo, Sartori ou Alba, entre outros. E que poderiam ter gerado outro resultado

  • PT – EDEGAR PRETTO

CONVENÇÃO DO PT CONFIRMA NOME DE EDEGAR PRETTO COMO CANDIDATO A GOVERNADOR

Deputado Estadual Edegar Pretto.

O Partido dos Trabalhadores oficializou a candidatura de Edegar Pretto (PT) ao governo do Rio Grande do Sul. O nome do deputado estadual foi confirmado durante convenção da federação do PT, PCdoB e PV realizada na manhã deste domingo (31), no Hotel Ritter, em Porto Alegre.

Durante o ato, o vereador e ex-deputado estadual Pedro Ruas foi oficializado como vice na chapa encabeçada pelo petista. O político do PSol havia sido confirmado na disputa ao Piratini há uma semana, mas a sigla decidiu apoiar a aliança em torno de Edegar Pretto ao governo gaúcho após ficar com a vaga de vice-governador e com o vereador de Porto Alegre Roberto Robaina (PSol) ocupando a primeira suplência do mandato coletivo de Olívio Dutra (PT), que foi confirmado na disputa o Senado neste domingo.

Conforme Pretto, a união dos partidos de esquerda é um dia que irá marcar a história do Partido dos Trabalhadores.  “Formamos uma chapa potente, uma frente mais ampla para fazer um grande palanque para o presidente Lula e que vai nos levar para o 2° turno neste espírito de construção para o RS. Estou muito feliz, pois assumo, neste momento, a maior missão da minha vida, fruto de uma construção coletiva, madura e o meu partido, o PT, neste momento, faz efetivamente uma troca geracional, uma renovação política. E eu, junto com o Pedro Ruas, vamos comanda este grande projeto que vai apresentar saída para o RS”, pontuou Pretto.

Durante discurso, a presidente da Federação composta pelo PSol e Rede Sustentabilidade, deputada estadual Luciana Genro (PSol), classificou a união dos partidos como “uma grande engenharia política”. Ela também lembrou que está é a primeira vez nos últimos 20 anos em que está ao lado do pai, o ex-governador Tarso Genro (PT), no mesmo palanque, em um primeiro turno. O gesto arrancou aplausos do público presente na convenção.

Durante o ato, a segunda suplência do mandato coletivo de Olívio Dutra ao Senado não foi anunciada. Contudo, segundo um acordo entre os partidos, a vaga será ocupada por uma mulher negra.

Além da chapa majortiária, a nominata da Federação Brasil da Esperança (PT, PCdoB e PV) terá 56 candidatos a deputado estadual e 32 a deputado federal.

  • PSDB – EDUARDO LEITE
Eduardo Leite concorre pelo PSDB.

O PSDB aprovou em convenção estadual na manhã deste domingo (31) a escolha de Eduardo Leite como candidato ao governo do Rio Grande do Sul. A oficialização da candidatura foi realizada no Teatro da Associação Médica do Rio Grande do Sul.

Alianças

Também neste domingo, a convenção do MDB definiu apoio à aliança com o PSDB. O partido indicou Gabriel Souza como candidato a vice-governador na chapa. Após a convenção dos partidos, Leite e Souza participaram de coletiva juntos. “O MDB terá papel protagonista”, afirmou Eduardo Leite.

Trajetória política

Natural de Pelotas, Eduardo Leite foi vereador e prefeito do município (de 2013 a 2016), além de governador do estado, entre 2019 e 2022.

  • PTB – domingo, 31 de julho – Câmara de Porto Alegre

O PTB- Partido Trabalhista Brasileiro – indicou o nome da vereadora de Porto Alegre Tanise Sabino (PTB), que vai concorrer a vice-governadora da chapa do PP – Progressistas, liderada pelo Senador Luis Carlos Heinze, candidato ao governo do estado.

SEGUNDA-FEIRA – 01.07

  • PSD – ANA AMÉLIA LEMOS AO SENADO E APOIO A EDUARDO LEITE
Ana Amélia Lemos.
PSD confirma Ana Amélia como candidata ao Senado em aliança com Leite

A jornalista Ana Amélia Lemos foi confirmada como candidata ao Senado na chapa do ex-governador Eduardo Leite, em convenção do PSD nesta segunda-feira, 01.08, no Auditório Dante Barone. Com isso, a aliança que sustenta a candidatura do tucano tem agora seis partidos: PSDB, Cidadania, MDB, PSD, Podemos e União Brasil. Este último ainda poderá rever a decisão aprovada em convenção, por ter perdido a vaga de vice para o MDB.

Eduardo Leite e seu vice, Gabriel Souza (MDB), prestigiaram a convenção e foram ovacionados pela barulhenta torcida dos deputados gremistas Danrlei de Deus e Gaúcho da Geral, que agia como se estivesse no estádio. A confirmação de Ana Amélia na aliança deixou no relento o senador Lasier Martins, do Podemos. Seu partido aderiu à coligação, mas não conseguiu garantir vaga para o senador, já que Leite tinha compromisso com Ana Amélia desde que ela entrou no PSD. Lasier ainda não decidiu o que fará.

Ana Amélia demorou para confirmar a aliança com Eduardo Leite porque temia uma possível candidatura do ex-governador José Ivo Sartori. Os líderes do MDB convidaram a ex-senadora para integrar a chapa até então liderada por Gabriel Souza e o PSD esteve a um passo de fechar o acordo, no início de junho. Diante da incerteza sobre o que faria o MDB, o PSD recuou e esperou pela convenção. Agora estão todos juntos.

Em seu discurso, Gabriel reconheceu que buscou insistentemente a aliança com Ana Amélia. O vice da chapa também minimizou a divergência interna do MDB: Senadora Ana Amélia, tu sabes o quanto eu estive procurando estar ao teu lado. Acho que o destino nos uniria de qualquer forma, Eduardo, e certamente vamos fazer uma campanha da paz, sem agressões, olhando para o futuro — afirmou o deputado.

Último a falar, Eduardo Leite deu o tom da campanha falando sobre a necessidade de manter as contas públicas em dia. O candidato tucano elogiou Ana Amélia e lembrou da recente aprovação pela Câmara de uma proposta de autoria da então senadora que proíbe a União de criar novas despesas sem indicar a fonte de receita. — Aqueles populistas que defendem gastos desenfreados sem qualquer controle oferecem resultados no curtíssimo prazo com problemas gravíssimos no médio e longo prazo — discursou.