CERIMÔNIA MARCOU INÍCIO DAS OBRAS DE RESTAURO NO CASTELO DE PEDRAS ALTAS

265

Primeira etapa receberá R$ 2 milhões via Lei de Incentivo à Cultura

Um evento no último sábado (26/8) marcou o início das obras de restauro e revitalização do Castelo de Pedras Altas. A cerimônia, que contou com a presença da titular da Secretaria da Cultura (Sedac), Beatriz Araujo, foi realizada no Castelo de Joaquim Francisco de Assis Brasil. O local, tombado como patrimônio cultural do Rio Grande do Sul, é uma referência histórica e arquitetônica.

A primeira etapa do projeto, proposto pela Associação Castelo de Pedras Altas, será executada com recursos do Pró-cultura RS que chegam a quase R$ 2 milhões (R$ 1.976.392,30), via Lei de Incentivo à Cultura (LIC). Além disso, contará com apoio institucional da Sedac, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae), da Prefeitura Municipal de Pedras Altas e da Universidade Federal de Pelotas.

“Precisamos preservar o que há de mais relevante na nossa cultura. O governo do Estado vem realizando, em parceria com os municípios, investimentos em todas as regiões. Nós encontramos aqui um exemplo disso, com a possibilidade de recuperação deste patrimônio que é de todos nós. Eu me sinto presenteada por estar secretária de Estado em um governo que investe em cultura como nenhum outro investiu, possibilitando ações tão relevantes”, afirmou Beatriz.

O Castelo

Construído pelo político, diplomata, produtor rural, intelectual e patrono da agricultura do Rio Grande do Sul Joaquim Francisco de Assis Brasil (que, inclusive, dá nome ao Parque Estadual de Exposições de Esteio), o castelo data de 1913 e é um exemplar único de técnicas pioneiras de sistema construtivo e infraestrutura de edificação.

Além do valor paisagístico, o castelo também abriga um significativo acervo relacionado à trajetória de Assis Brasil. Na biblioteca, encontram-se cerca de 15 mil livros, alguns deles raros e de grande valor histórico.

No ano em que se celebra o Centenário da Revolução de 1923, o castelo se destaca por ter sido palco da assinatura do Tratado de Paz que deu fim ao conflito entre chimangos e maragatos, entrando para a história como o Pacto de Pedras Altas.

Sobre o projeto

A primeira etapa de restauro e revitalização prevê a impermeabilização e a pavimentação da laje de cobertura do castelo, nos locais de maior acesso. No andar superior, será feita a remoção e a execução dos revestimentos internos, além de instalações elétricas e restauro da pintura das janelas metálicas. A segunda etapa do projeto, por sua vez, prevê intervenção estrutural no terraço do castelo.

O resultado, a longo prazo, será a implantação de um Ecomuseu, com o objetivo de valorizar o território, a paisagem cultural e a memória local, perspectiva que reúne a história social, ancorada em seus referenciais arquitetônicos e paisagísticos, e representa uma importante contribuição para o desenvolvimento cultural do Estado.

Texto: Camila Diesel e Sylvia Bojunga/Ascom Sedac
Edição: Rodrigo Toledo França/Secom