CENTRO DA CIDADE ABANDONADO: SUMIU BUSTO DE GETÚLIO VARGAS

18
O local fotografado nesta manhã de quarta-feira, já sem o busto de Getúlio Vargas.

O Treze Horas chamou a atenção para o fato: Vão sumir com o busto de Getúlio Vargas! A colocação foi feita pelo jornalista Henrique Pires há cerca de sessenta dias participando da mesa de debates do programa. O fato aconteceu nesta quarta-feira, 27.07, quando o busto foi roubado. Segundo Henrique Pires, que também é historiador, o busto de Getúlio ficava anteriormente na Praça da Alfândega de Pelotas. A obra foi feita em 1928, quando o Getúlio era o Ministro da Fazenda do presidente Washington Luiz e naquele mesmo ano retornaria ao Rio Grande do Sul para suceder Borges de Medeiros como governador. A sugestão dada por Henrique Pires -que foi Secretário Nacional de Cultura – que se fizesse uma réplica para ser colocada no local e que a original (roubada hoje) fosse colocada na Biblioteca Pública Pelotense, resguardada assim da possibilidade de roubo ou vandalismos.

Busto de Getúlio Vargas de autoria do escultor português Pinto do Couto roubado nesta quarta-feira.

AUTOR

O busto roubado é de autoria do escultor português Rodolfo Pinto do Couto – nascido no Porto em 1888 e que morreu em 1945. Ele atuou em Portugal e no Brasil. O busto desaparecido hoje era o menor que existe no Brasil, feito por Pinto do Couto.  Aluno da antiga Academia Portuense de Belas Artes, onde teve aulas de desenho histórico e de escultura com o Mestre Teixeira Lopes. Casou-se em 1911 com a escultora brasileira Nicolina Vaz de Assis. Vem, então, para o Brasil, radicando-se no Rio de Janeiro, onde participou do Salão Nacional de Belas Artes, em 1913 e 1918. Realizou trabalhos e monumentos em várias cidades. É autor dos púlpitos de bronze (1931) da Igrela Candelária do Rio de Janeiro, além de muitas outras obras espalhadas por vários museus. No final da vida, retorna a Portugal, onde falece em 1945.