ARTIGO – O ADEMIR NUNCA PERDEU BRA-PEL

182

O ADEMIR NUNCA PERDEU  BRA-PEL

Por Clayton Rocha

Foram apenas nove meses defendendo as cores do Esporte Clube Pelotas. Corria o ano de 1984. O torcedor desejava uma marca forte dentro do campo, daqueles atletas que chegam e ficam, e  para sempre, na memória dos que amam o futebol técnico, cheio de classe, de estilo e de resultados. Ademir Alcântara era tudo isso. E por isso ficou guardado nas melhores lembranças, nas estatísticas, nas jogadas de raro brilho, nos gols que marcou dentro e fora da Boca do Lobo. Tantos, mas tantos, que se tornou o goleador do Gauchão de 1984.  E como se não bastasse, ele, Ademir Alcântara, o craque, jamais perdeu um BraPel. O leitor imagina o que isso significa?

Pois ele foi mesmo  um grande  vencedor. Depois do Esporte clube Pelotas, onde brilhou intensamente, ganhou Porto Alegre e a Europa. Jogou no Internacional, foi vendido ao F C do Porto e depois ao Benfica.  Hoje, Ademir Alcântara,( uma espécie de Paulo Roberto Falcão dos anos 70),  vive em Curitiba, com a sua família, cuidando de suas propriedades e de sua fazenda. E sempre lembrando da cidade de Pelotas e do seu clube de coração, o azul e ouro da Boca do Lobo.

Talvez fique faltando aqui, neste texto improvisado, um depoimento mais consistente de um de seus maiores admiradores, o ex-Presidente Carlos Alberto Mascarenhas Schild. Mas isso é questão de tempo. (Clayton Rocha)

Ademir Alcântara recebendo homenagem do então presidente do E.C. Pelotas – Luis Antônio de Melo Aleixo – no dia do CENTENÁRIO do Lobão, em jantar comemorativo nos salões do Clube Brilhante.