NAVE CENTRAL DA CATEDRAL DE PELOTAS COMEÇA A SER RESTAURADA

28
O começo da restauração da cobertura da nave central da Catedral São Francisco de Paula foi anunciado na última quarta-feira 13.07 em festejada cerimônia s os afrescos de Emílio Sessa e Aldo Locatelli. Fotos: Satolep Press Comunicação fotografia.

O começo das obras foi anunciado em cerimônia na Catedral São Francisco de Paula

A arquiteta Simone Neutzling, que coordena o projeto, falou sobre a relevância de cada intervenção em prol da proteção do raro acervo artístico que a Catedral abriga. Fotos: Satolep Press Comunicação fotografia.

O começo da restauração da cobertura da nave central da Catedral São Francisco de Paula foi anunciado na última quarta-feira 13.07 em festejada cerimônia s os afrescos de Emílio Sessa e Aldo Locatelli. O evento marca mais uma importante etapa em prol da preservação deste patrimônio de relevância artística, histórica e cultural para o Rio Grande do Sul. O padre Luiz Boari, pároco da igreja, destacou o empenho da Comissão de Restauro da Catedral há mais de duas décadas para manutenção do templo. Ele lembrou que desde 2009 as obras são realizadas em etapas distintas, cada uma delas com diferentes custos e complexidade. “Somos gratos a cada um que de alguma forma colabora com esta missão de manter a integridade da nossa memória”, destacou. Com previsão de duração de 12 meses, a obra de restauro da cobertura acontece em tempo de evitar a degradação do madeiramento do telhado, dos forros de estuque e das pinturas murais, que atualmente sofriam as consequências da umidade proveniente da ação do tempo. A iniciativa é financiada via Pró-cultura – Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC), com o patrocínio da Josapar, apoio de Biscoitos Zezé e produzido pela Perene Patrimônio Cultural.

Na plateia, além de autoridades, convidados e imprensa, alunos das escolas lindeiras ocupavam grande parte dos bancos de madeira da Catedral. Fotos: Satolep Press Comunicação fotografia.

A arquiteta Simone Neutzling, que coordena o projeto, falou sobre a relevância de cada intervenção em prol da proteção do raro acervo artístico que a Catedral abriga. Uma edificação tão antiga e imponente, e com tamanha inserção cultural, social e religiosa, precisa de cuidados. “É um patrimônio que detém as marcas da ação do tempo e exige intervenções constantes para a sua manutenção e preservação”, observou. As pinturas murais expressivas de Emílio Sessa e Aldo Locatelli estão distribuídas em 33 murais na igreja. O diretor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE), Renato Savoldi, elogiou o trabalho contínuo desenvolvido pelas equipes para manutenção do templo. “Temos orgulho de ver o engajamento da comunidade e a participação de todos neste importante processo”, ressaltou.

Na plateia, além de autoridades, convidados e imprensa, alunos das escolas lindeiras ocupavam grande parte dos bancos de madeira da Catedral. Alunos e professores do Instituto São Benedito, Colégio Gonzaga e Escola Monsenhor Queiroz, que participam das ações de educação patrimonial dos projetos. A prefeita Paula Mascarenhas parabenizou as equipes e destacou a alegria em ver a participação dos alunos nas atividades. “São todas as gerações, juntas, preservando a nossa memória”, finalizou. Durante todo o período de obras, a igreja manterá sua rotina e o processo poderá ser acompanhado de perto pela comunidade, através das mídias sociais (Instagram @catedraldepelotas) e atividades que serão desenvolvidas junto à comunidade.