EÓLICA VAI REVOLUCIONAR MATRIZ ENERGÉTICA DO RS

1663
O aproveitamento do potencial energético offshore, ou seja, instalado no mar será uma realidade no litoral do Rio Grande do Sul em breve.
A energia eólica chegou com definitivamente ao RS. O mar da costa do estado receberá um incremento substancial de aerogeradores ao longo dos próximos anos. A mais recente atualização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) quanto a projetos eólicos offshore (no mar) aguardando licenciamento ambiental no País aponta um aumento das iniciativas dessa natureza a serem desenvolvidas na costa gaúcha.
.
Em abril eram 17 empreendimentos e neste mês de agosto passaram a ser 21, sendo que os quatro complexos mais novos incorporados à lista são da Shizen Energia do Brasil, empresa de origem japonesa. O território gaúcho está totalmente mapeado, conforme seu potencial energético para a instalação de novas usinas. O Atlas Eólico do Rio Grande do Sul, desenvolvido em 2014 pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, considera que o Estado pode gerar até 103 gigawatts de energia utilizando os ventos somente em terra firme em terra firme e agora avança para o mar.
.
Lembrando que existem três tipos de energia eólica, ou seja, por meio da força dos ventos. As onshores fazem isso em solo firme. Já as nearshores estão em lagos e lagoas. E, por fim, as offshores se localizam em alto mar. O RS concentra quase um terço dos projetos cadastrados no IBAMA. A questão agora se refere a investimentos em linhas de transmissão.
.
PROJETOS A SEREM FEITOS NO RS
Águas Claras – 200 aerogeradores;
Ventos do Sul – 482 aerogeradores;
Tramandaí Offshore – 52 aerogeradores;
Ventos Litorâneos – 83 aerogeradores;
Bravo Vento – 77 aerogeradores;
Guarita Offshore – 112 aerogeradores;
Rio Grande Offshore – 80 aerogeradores;
Cassino Offshore – 128 aerogeradores;
Amazonita – 150 aerogeradores;
Turmalina – 150 aerogeradores;
Sopros RS – 200 aerogeradores;
Projeto White Shark – 215 aerogeradores;
Projeto Atobá – 166 aerogeradores;
Projeto Ibituassu – 134 aerogeradores;
Península Wind – 180 aerogeradores;
Tecnoluft Wind – 180 aerogeradores;
Marine Vórtice WOS – 348 aerogeradores;
Farol de Mostardas Geração Offshor aerogeradores;e – 200
Querência Geração Eólica Offshore – 200 aerogeradores;
Taim Geração Eólica Offshore – 200 aerogeradores; 
Barra do Chuí Eólica Offshore – 200aerogeradores.
Fonte: IBAMA
.
Marco para exploração de energia em alto mar é aprovado em comissão

Fonte: Agência Senado

A Comissão de Infraestrutura (CI) aprovou nesta quarta-feira (17) projeto que prevê um marco regulatório para a exploração de energia em alto mar. A produção pode ser por meio dos ventos (eólica), por meio do sol (solar) ou por meio das marés. O PL 576/2021 regulamenta como será o aproveitamento do potencial energético offshore, ou seja, instalado no mar. O texto segue para análise dos deputados, desde que não haja recurso para análise pelo Plenário.

Fonte: Agência Senado