ARTIGO – O SÃO JOÃO LUSITANO

76

O SÃO JOÃO LUSITANO

Ivon Carrico*

Hoje, o Brasil está em festa. É São João! Em todos os Quadrantes. Portugal nos brindou com essa espetacular herança cultural – as festas juninas.

Como herdamos no sangue lusitano uma boa dose de lirismo (não confundir com o Lira, Presidente da Câmara dos Deputados), estamos a celebrar.

E, para não sermos ingratos com essa terra mãe gentil e, não é 1° de abril, estamos brindando, também – esta semana – os Portugueses com uma presença maciça de nossas Autoridades, de diferentes níveis e esferas do Poder, em Lisboa.

Tudo para – entre avencas, alecrins, licores e as rendas do Alentejo – ah, sim! E, também, com um vinho tropical, discutir o Brasil em evento promovido, naquela Capital, por conhecida Instituição Particular de ensino brasileira.

Faremos o Rio Amazonas, como numa pororoca, desaguar não no Guaíba e, muito menos no Tejo, mas no Farol da Roca.

Mas, ao som de guitarras e sanfonas e muita mandioca, precisamos apurar essa tapioca, massuda de privilégios, distinções e bonomias.

O custo desse Arraiá deve ser conhecido e, principalmente, a fonte desses recursos, sejam públicos e/ou privados.

Pois só assim, como preconizou o Chico Buarque, em 1973, na canção ‘Fado Tropical’, esta terra ainda vai cumprir seu ideal,… tornando-se um imenso Portugal!

*Ivon Carrico é pelotense, mora em Brasília, atuando na administração há quase 50 anos. Atuou na ANVISA e na Presidência da República. Brasília: 24/06/2024