ROUPAS APREENDIDAS PELA RECEITA FEDERAL EM PELOTAS SÃO ENCAMINHADAS PARA VÍTIMAS DA ENCHENTE NO RS

184
 
2 mil meias esportivas, que estavam no Depósito da Receita Federal em Bagé, foi entregue pelo IFSul, na Central de Doações do município de Pelotas.
Roupas apreendidas pela Receita Federal em Pelotas são encaminhadas para ajudar vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

As mercadorias faziam parte de um lote de roupas destinadas ao IFSul dentro do Projeto “Receita Cidadã”.

O lote contendo 3.371 kg de peças de vestuário, 312 kg de meias esportivas e 155 pares de tênis foram destinados, dentro do Projeto “Receita Cidadã”, ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFSul-rio-grandense-Campus CAVG. Na parceria, as peças destinadas passaram por um processo de triagem e descaracterização (que é a retirada de logomarcas e etiquetas), a cargo daquela Instituição de ensino, que possui curso de Design de Moda e Vestuário, para posterior doação a entidades que atendam pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Com a calamidade que afetou o Rio Grande do Sul no mês de abril e maio, foi necessário um mutirão envolvendo as duas instituições para que as mercadorias descaracterizadas chegassem mais rápido possível as vítimas das enchentes.

No dia 06/05 a primeira parte das mercadorias foi transportada para Guaíba e Santa Maria, com colchões, alimentos, água e material de limpeza, arrecadados pelo IFSul e Sinasefe.

A segunda parte, composta por 2 mil meias esportivas, que estavam no Depósito da Receita Federal em Bagé, foi entregue pelo IFSul, na Central de Doações do município de Pelotas.

No Projeto “Receita Cidadã”, a Receita Federal utiliza o processo de destinação de mercadorias apreendidas para contribuir com a gestão ambiental, ecoeficiência e responsabilidade social com ações benéficas para toda a sociedade. Peças de vestuário, cintos, sapatos e bonés são descaracterizados a partir da retirada de etiquetas e logomarcas em evidência. Assim, o material pode ser doado para a população em situação de vulnerabilidade econômica. Os retalhos dos tecidos são reaproveitáveis na confecção de tapetes, tendo sido utilizados, também, na confecção de máscaras de proteção à COVID-19, na pandemia.

 

Texto e fotos: Comunicação Institucional RFB – Cidadania Fiscal – Delegacia da Receita Federal do Brasil em Pelotas