MAIS UM PASSO RUMO AO PRONTO SOCORRO REGIONAL

82
A empresa MEP Arquitetura e Planejamento foi a contratada para a realização do projeto entregue ao Governo do Estado.

Prefeitura entrega ao Estado projeto final do novo Pronto Socorro

Complexo terá mais de nove mil metros quadrados, 121 leitos clínicos, e será construído na avenida Bento Gonçalves. Próxima fase será de licitação da obra

Foto: Michel Corvello.

Mais um passo foi dado em direção a construção do Pronto Socorro Regional de Pelotas. nesta sexta-feira, 01.10, a prefeita Paula Mascarenhas recebeu o projeto final do novo Hospital de Pronto Socorro Regional de Pelotas (HPSR) e o entregou à secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann. Durante o ato, a proposta do novo complexo de saúde também foi apresentada ao público pela arquiteta Ana Carolina Potier, sócia-proprietária da empresa responsável pela elaboração dos projetos. A partir de agora, a construção do estabelecimento entra no processo de licitação da obra, etapa que deve estar concluída até o final do ano.

Detalhes do novo Hospital de Pronto Socorro Regional

O complexo será de atendimento Especializado Tipo II, considerado como hospital geral pelo Ministério da Saúde, para atendimento de urgências e emergências e, também, com tecnologia e recursos humanos voltados a casos clínicos e cirúrgicos. A nova casa de saúde será viabilizada com recursos do governo do Estado, por meio do programa Avançar RS. No total, serão aportados R$ 55 milhões para a construção do hospital, que atenderá Pelotas e os municípios da Zona Sul.

Com 9,3 mil metros quadrados de área construída, o complexo ocupará as áreas onde, atualmente, se localizam repartições do Sanep, da Secretaria de Desenvolvimento Rural e da unidade de saúde Centro Covid.

Com 9,3 mil metros quadrados de área construída, o complexo ocupará as áreas onde, atualmente, se localizam repartições do Sanep, da Secretaria de Desenvolvimento Rural e da unidade de saúde Centro Covid.

A instalação terá 121 leitos clínicos, sendo 10 destinados a Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) para adultos e 10 para pediatria, além de cinco salas cirúrgicas e dependências para recuperação. Contemplará, ainda, atendimento básico de cirurgia geral, traumatologia, bucomaxilofacial e cardiologia.

O prazo previsto para construção da obra é de dois anos, com a primeira fase destinada à ampliação e ao estacionamento e, no segundo ano, à reforma da estrutura já existente.

O escopo dos projetos elaborados pela empresa contempla os seguintes itens: estudo preliminar, anteprojeto, projeto legal e projeto executivo (arquitetura, estruturas – elétrica, eletrônica, hidrossanitária, GLP, gases medicinais, prevenção contra incêndio, e climatização).

Histórico do projeto

A construção do Hospital de Pronto Socorro Regional é uma bandeira apresentada e defendida pela prefeita Paula Mascarenhas com respaldo do governador Eduardo Leite.

Na primeira semana de outubro de 2020, o governo gaúcho apresentou o projeto ao Ministério da Saúde, em Brasília. Naquele mesmo mês, a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, discutiu a proposta com a bancada gaúcha do Congresso Nacional, pleiteando recursos de emendas parlamentares.

Em dezembro de 2020, o governo do Estado firmou convênio com a Prefeitura, para o repasse de recursos empregados na elaboração de projetos arquitetônicos e complementares do futuro estabelecimento. Ainda naquele mês, o governador firmou compromisso de assegurar, no orçamento estadual, R$ 19 milhões para início das obras ainda em 2021.

Nos primeiros meses deste ano, o Município abriu processo de licitação para contratar empresa para elaboração de projetos, além de dar andamento aos licenciamentos e alvarás. A vencedora foi a MEP Arquitetura e Planejamento, especialista em plantas de estabelecimentos hospitalares. O contrato foi assinado em fevereiro de 2021.

O escopo dos projetos elaborados pela empresa contempla os seguintes itens: estudo preliminar, anteprojeto, projeto legal e projeto executivo (arquitetura, estruturas – elétrica, eletrônica, hidrossanitária, GLP, gases medicinais, prevenção contra incêndio, e climatização).

A conclusão e apresentação do projeto permitirá a abertura de licitação para contratação de empresa capacitada para executar a obra. A Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) acompanha todas as etapas. A Seplag ficará responsável pela licitação da obra, o gerenciamento, os pagamentos e a prestação de contas – até a conclusão e entrega da edificação à esfera da Saúde para inauguração.

A etapa de elaboração de todos os projetos técnicos corresponde à quantia de mais de R$ 880 mil.