BANDEIRA DO TREZE HORAS: DA ZH – DUPLICAÇÃO DA BR-116 NÃO FICARÁ PRONTA EM 2022

73

DO JORNAL ZERO HORA – Jornalista Jocimar Farina

A DUPLICAÇÃO DA BR-116 ENTRE GUAÍBA E PELOTAS NÃO DEVE SER CONCLUÍDA EM 2022. A NOTÍCIA JÁ ERA ESPERADA, TENDO EM VISTA O ATRASO EM DIVERSOS TRECHOS DA OBRA, QUE COMPLETA DEZ ANOS EM 2022

Conforme o jornalista Jocimar Farina, da GZH, a última promessa do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, também terá de ser adiada. No ano passado, o ministro informou que a duplicação seria conluída em 2021. Depois, no começo deste ano, atualizou o prazo para o fim de 2022.  Atualmente, o trecho entre Guaíba e Pelotas tem 62% dos 211 quilômetros duplicados e já em uso. De acordo com o colunista, o Exército previa entregar o viaduto de Barra do Ribeiro no mês de setembro. A nova previsão é de que o viaduto seja entregue ainda neste ano.

Além disso, em dezembro, seriam finalizados mais 10 quilômetros no mesmo município. O término dos 50 quilômetros sob responsabilidade do Exército, entre Guaíba e Tapes, deveriam ser concluídos até junho de 2022, conforme a promessa inicial. Agora, o Exército garante que será entregue ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) 10 quilômetros mais avançados até abril de 2022 e todo o trecho de competência das Forças Armadas até março de 2023.

O trecho mais atrasado

A cidade de Camaquã está entre o trecho mais avançado e o mais atrasado da duplicação. Enquanto o trecho entre Camaquã e Tapes está 100% concluído, o trecho entre Camaquã e Cristal tem apenas 43% dos trabalhos realizados. Com isto, a principal dificuldade atual envolve os trechos que não recebem obras, em que o Dnit precisará contratar novas empresas. O lote 5, entre Camaquã e Cristal, tem 25 quilômetros. A empresa responsável declarou falência e por isso, será necessária uma nova licitação. As obras não deverão ser finalizadas em 2022, como estava previsto inicialmente. Não há sequer previsão de um novo prazo de entrega.

Jocimar também afirma que um trecho de quatro quilômetros, em São Lourenço do Sul, está sob responsabilidade do DNIT e será entregue até o fim do mês que vem.  Ele ainda destaca que o Ministério de Infraestrutura prevê que a nova empresa que vencer o leilão da BR-116, entre Porto Alegre e Camaquã deverá começar a executar seus serviços a partir de 2023. Sendo assim, é possível que a duplicação que não ficar pronta até Camaquã será finalizada pela concessão. A obra, que foi contratada a R$ 868,94 milhões, já totaliza o custo de R$ 1,77 bilhão.