ARTIGO – O DESVARIO ACADÊMICO

115
Pasmem! “Escondida” nas instruções do Programa de Avaliação da Vida Escolar (PAVE) algumas palavras tinham letras em negrito e juntas formavam exatamente a frase “Fora Bolsonaro”.

O DESVARIO ACADÊMICO

Ivon Carrico*

Causou uma certa perplexidade, em alguns meios da Capital federal, a inusitada e prosaica manifestação desfavorável ao Presidente da República quando da aplicação de uma prova na UFPel/Universidade Federal de Pelotas, no último sábado.

Pasmem! “Escondida” nas instruções do Programa de Avaliação da Vida Escolar (PAVE) algumas palavras tinham letras em negrito e juntas formavam exatamente a frase “Fora Bolsonaro” (reprodução acima na imagem).

Ora, não é esse tipo de comportamento que se espera de uma instituição séria. Ainda mais quando se usam recursos públicos para se promover tal desatino.

Não bastassem os tantos e inúmeros despropósitos emanados do próprio MEC – nos últimos tempos – somos obrigados, agora, também, a assistir mais esse desvario no âmbito universitário.

A UFPel, sempre tão distinguida no cenário nacional, tem – também – nos últimos tempos se destacado por ocorrências que, pouco agregam à vida acadêmica e àquela Instituição, em especial.

É incomum tanto a inflição de uma sanção disciplinar a um alto Dirigente como, também, o esdrúxulo propósito da Reitoria da Universidade ser partilhada, ou melhor, compartilhada com os demais participantes do processo que culminou com a designação da atual Reitora.

Não pode a Universidade, como Instituição e, ainda mais, quando mantida por recursos públicos, ser usada para palanque eleitoral.

É mais honesto que procurem, então, a filiação partidária. Como fizeram o ex-Juiz Sérgio Moro e o ex-Procurador da República, Deltan Dallagnol. (Ivon Carrico)

*Ivon Carrico é pelotense, mora em Brasília, atuando na administração há quase 50 anos. Atuou na ANVISA e na Presidência da República. (Brasília, 07/12/2021).