ARTIGO – O AGRONEGÓCIO – Podcast

116

ARTIGO – O AGRONEGÓCIO – IVON CARRICO – Podcast

O AGRONEGÓCIO

Ivon Carrico*

Não é de hoje a vocação agrícola do Brasil. No período Colonial tivemos o Ciclo do Açúcar e, depois, já no Império e início do período republicano, o da Borracha e o do Café. Este último findou em 1930 em decorrência do ‘crash’ da Bolsa de Valores de Nova York, em 1929.

Depois desse triste episódio o Brasil iniciou – então – um tímido processo de industrialização no último Governo Vargas, no início da década de 1950. Para isso, foi emblemática a criação da CSN, em Volta Redonda. Assim, logo após, já nos anos 70, a indústria chegou a representar 20% da composição do PIB.

Também, no início daquela década de 1970, o campo voltava aos grandes debates quando se criou a Embrapa para viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura. E, assim, não cair mais na armadilha da monocultura.

A agenda de desenvolvimento, àquela ocasião, previa a coexistência da expansão agrícola com a industrial.

Todavia, na década de 1980 começou a reversão da indústria, sendo que, em 2018, esse importante segmento já despencara para 11% do PIB.

Políticas governamentais, ou a falta, ou a inadequação delas foram determinantes nesse acentuado declínio.

Mas, já a agricultura – provavelmente em função da pesquisa e da experimentação – tem alcançado feitos inimagináveis. A Folha de São Paulo, edição desta data, informa que o valor bruto da produção deverá superar R$ 1,1 trilhão este ano. As exportações ficarão acima de US$ 115 bilhões e a produção de grãos 253 milhões de toneladas.

Quiçá, esse sucesso reverbere nos discursos dos Candidatos para 2022 para que consigamos sair de vez de uma economia primária, calcada quase que exclusivamente no agronegócio, para uma economia – também – de bens e serviços com valores agregados e, assim, decolar para um patamar de maior desenvolvimento.

*Ivon Carrico é pelotense, mora em Brasília, atuando na administração há quase 50 anos. Atuou na ANVISA e na Presidência da República. (Brasília, 28/09/2021).