POTENCIALIDADES DA INDÚSTRIA REGIONAL EM DEBATE – Podcast

306
Deputado Estadual Dalciso Oliveira – PSB esteve no Treze Horas desta sexta-feira, 11.03.

DEPUTADO ESTADUAL DALCISO OLIVEIRA-PSB NO TREZE HORAS – Podcast

O presidente do CIPEL – Amadeu Fernandes – recebeu o Deputado Estadual, que é industrial, Dalciso Oliveira, na sede do Centro das Indústrias de Pelotas.

POTENCIALIDADES DA INDÚSTRIA REGIONAL EM DEBATE

Sob a presidência do deputado Dalciso Oliveira (PSB), foi realizada na sexta-feira, em Pelotas, a reunião da Comissão Especial da Indústria (CEI-RS), para tratar das ações dirigidas ao setor industrial na retomada da economia. Empresários da região participaram do encontro, promovido pelo Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel), em parceria com a Fiergs.

Com participações in loco e por videoconferência, o encontro traçou uma radiografia da economia da região Sul e analisou a situação do setor industrial a partir da “Plataforma de Compromissos para um Brasil Industrial”, elaborada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). Os participantes defenderam a necessidade de uma política pública industrial de longo prazo, “de Estado e não de governo”, com redução da carga tributária, e teceram críticas à qualidade do ensino atual e à formação profissional dos jovens. O presidente do Cipel, Amadeu Fernandes, destacou que a zona sul apresenta potencialidades diversificadas e apontou a alta carga tributária como um dos maiores empecilhos para o crescimento da região. “Um dos principais anseios de todo empresário é a questão tributária”, disse. “A gente briga, a gente luta para que haja uma tributação mais justa”, completou. Estradas e acessos para escoar a produção e a qualificação da mão de obra foram outros pontos citados.

Na mesma linha, o representante de Rio Grande, Torquato Pontes, lembrou a importância do Super Porto e as políticas em prol do Distrito Industrial daquele município. Segundo ele, totalmente licenciado e pronto para receber investimentos. “O empresário que deseja instalar-se em Rio Grande terá que se envolver, apenas, com seus negócios e não mais com a burocracia e licenciamentos que inibem a expansão de operações na iniciativa privada.

MANIFESTAÇÕES
O presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas e vice-presidente da Fiergs, Cláudio Bier, destacou a diversificação da economia da região, citando Pelotas e Rio Grande como referências na indústria, no comércio, no agronegócio e nos serviços, “com pujante atuação de instituições educacionais em todos os níveis de ensino”.
Estudo da Fiergs

Segundo o economista Giovani Baggio, da Fiergs, todos os países que atingiram o status de país desenvolvimento o fizeram com uma indústria forte e acessando os mercados globais. “Por isso, se quisermos um Brasil desenvolvido, com qualidade de vida para a população, isso passa pelo setor industrial”, avaliou. O setor industrial, conforme o economista, é responsável por 20,4% do PIB, o equivalente a R$ 1,3 trilhão, tendo ainda efeito multiplicador na economia. “Cada R$ 1,00 produzido na indústria gera R$ 2,43 na economia como um todo”, disse.

Na indústria do Brasil, o RS responderia, segundo ele, por 6,9% do PIB (R$ 94,6 bilhões), 9,5% dos estabelecimentos (44,6 mil indústrias), 7,8% dos empregos formais (752,3 mil trabalhadores), 6,3% das exportações (US$ 14,1 bilhões) e 8,7% da arrecadação de IPI (RS$ 5,1 bilhões). E na economia gaúcha, a indústria representaria 22,5% do PIB, 17,7% dos estabelecimentos, 16,7% dos empregos formais, 67% das exportações e 65,4% da arrecadação de ICMS.