ECONOMIA: TESOURO DIRETO VOLTA A SER BOM INVESTIMENTO

274
Vinícius Machado Ferreira, da MARCO INVESTIMENTO – XP e integrante do grupo de comentaristas do Treze Horas. Foto: Divulgação

OPORTUNIDADES TESOURO DIRETO

Vinícius Machado Ferreira*

As taxas dos títulos do Tesouro Direto voltaram a subir com força na última terça-feira (18), alcançando ou se aproximando das máximas do ano em meio a preocupações com a política fiscal do governo e projeções altistas para a inflação e os juros ao fim do ano.

Conte com a proteção do poder de compra mais uma taxa fixa ao ano!

Tesouro IPCA+2029
Taxa: IPCA + 6,46% aa
Vencimento 15/05/2029
Valor mínimo: R$ 3.200,00

Tesouro IPCA+2035
Taxa: IPCA + 6,36% aa
Vencimento 15/05/2035
Valor mínimo: R$ 2.200,00

Tesouro IPCA+2045
Taxa: IPCA + 6,36% aa
Vencimento 15/05/2045
Valor mínimo: R$ 1.200,00

OBS.: valor mínimo correspondente a 1 quantidade;
o preço de cada quantidade pode se alterar ao longo do dia;
a taxa contratada corresponde a cotação do dia;
plataforma disponível até às 17h.

Exclusivo para novos aportes

COMENTÁRIO DE VINÍCIUS MACHDO FERREIRA DA MARCO INVESTIMENTOS

Pela taxa está muito atrativo. Somente em 10% do período histórico o tesouro atinge este patamar de retorno. Excelente veículo para quem quer iniciar nos investimentos inclusive. O risco soberano, ou risco da emissão de dívida do governo federal é o menor risco de todo o mercado financeiro, pensando em investimentos. O risco do investidor se dá apenas em calote ou quebra do governo, o que é extremamente improvável.
E recentemente as agências de avaliação de risco e crédito melhoraram a revisão da nota do Brasil.

“Agência de risco Moody’s muda perspectiva de nota de crédito do Brasil e deixa país mais perto de grau de investimento, em 01/05/2024. A agência de classificação de riscos Moody´s mudou a perspectiva sobre a nota de crédito do Brasil. Agora, há uma avaliação “positiva” para o país. O rating atualmente está em Ba2 e a perspectiva anterior era “estável”. Essa é a primeira movimentação da Moody’s desde 2018. Em seu comunicado, a agência Moody’s fala em melhora na perspectiva do crescimento do país, após “reformas estruturais” e “salvaguardas institucionais”.”

Essas agências avaliam a capacidade de uma instituição ou país pagarem suas dívidas. De acordo com a capacidade, são atribuídas notas que podem ir de AAA (o famoso triple A), para os melhores pagadores, a D, para quem está em situação de inadimplência.

Caso haja interesse, entrar em contato. Fico à disposição.

*Especialista em Investimentos e Private Banking; Sócio e Assessor da Marco Investimentos XP; Colaborador do Treze Horas para a editoria de economia.