DESTAQUE DE SÁBADO: PELOTAS EM VERMELHO E DESTA VEZ NÃO HAVERÁ RECURSO

113

Pelotas retorna à bandeira vermelha no Distanciamento Controlado

Prefeita não irá recorrer da decisão do governo estadual

Pelotas retornou para a bandeira vermelha do Distanciamento Controlado do Governo do Estado nesta sexta-feira (31). De acordo com a divulgação preliminar da 13ª semana do modelo, com vigência entre os dias 4 e 10 de agosto, a região Sul voltou para risco alto para o novo coronavírus após uma semana de bandeira laranja, através de recurso. A prefeita Paula Mascarenhas anunciou que não irá recorrer da decisão. Segundo a divulgação preliminar do governo estadual, a região teve piora nos índices de “variação no número de internados por SRAG em UTI”, de “variação no número de confirmados em UTI” e de “razão entre casos ativos na semana e recuperados no início da semana”. Entretanto, teve melhora nos índices de “variação no número de internados por SRAG em UTI”, de “novas hospitalizações Covid/população” e de “número de leitos livres para cada leito ocupado Covid”. Com isso, a região se mantêm em bandeira vermelha.

SEM RECURSO

Paula Mascarenhas anunciou, ainda nesta sexta, que não irá recorrer da decisão do governo estadual, devido ao notável agravamento da situação no município e na região. “A nossa intenção é poder, na semana que vem, recuar, pedindo as pessoas para fazerem o isolamento social e nos ajudem a superar, mais rápido, essa crise sanitária”, destaca.

“Pelotas decide não recorrer porque estamos verificando um agravamento dos casos, um aumento nas internações, uma ocupação maior nos nossos leitos de enfermaria e UTI que não nos autorizam flexibilizar ou pedir flexibilização das atividades econômicas”, acrescenta a prefeita.

12 REGIÕES EM BANDEIRA VERMELHA

Além de Pelotas, as regiões de Santo Ângelo, Santa Rosa, Bagé e Lajeado passaram de risco médio para alto da propagação do coronavírus. Juntando-se com Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Caxias do Sul, o Rio Grande do Sul passa a ter 12 regiões em bandeira vermelha no modelo.

Nesta rodada, apenas Capão da Canoa teve redução do risco, indo para bandeira laranja junto a Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Erechim, Cachoeira do Sul e Santa Cruz do Sul. De acordo com o governo do Estado, houve uma relativa estabilização em diversos indicadores no Rio Grande do Sul, exceto do “número de óbitos”, além disso, com a abertura de novos leitos, houve um aumento na quantidade de leitos livres. Mesmo assim, o Estado se mantêm em alerta em relação ao sistema de saúde, visto que a média segue ainda abaixo de um leito livre para cada ocupado, não permitindo, assim, acelerações no número de internações pela doença.