BANDEIRA DO TREZE HORAS: OBRA DE DUPLICAÇÃO DA BR-116 ESTÁ PARANDO

239
BR-116 devagar quase parando conta com a inércia da classe política gaúcha.

Logo após recente matéria do jornalista Jocimar Farina, da Z.H., sobre a lentidão em relação as obras de duplicação do trecho sul da BR-116, a mesma fonte volta a carga e informa na edição de hoje – do mesmo jornal – que a duplicação está lenta quase parando. É que a duplicação foi dividida em nove lotes e, segundo o DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte – destes, quatro estão atualmente parados. Outro será interrompido em breve. O motivo:  os valores dos contratos não podem mais ser reajustados, pois estourariam o limite determinado pela legislação.

Dessa forma, as obras foram encerradas nos lotes 5, 6, 8 e 9, entre Camaquã e Pelotas. O lote 7, entre Cristal e São Lourenço do Sul, será o seguinte a deixar de ter movimentação nas próximas semanas. Assim, os trabalhos ficarão concentrados entre os lotes 1 e 2, de Guaíba a Tapes, de competência do Exército.

Os trechos restantes, 3 e 4, foram entregues no começo de 2021. Mas, nem todas as obras foram executadas. Falta ainda realizar a construção do viaduto no acesso a Tapes e Sentinela do Sul. Recentemente, o DNIT fez corte de R$ 19,99 milhões na duplicação. Em outubro, R$ 12 milhões foram cortados. Dias depois, R$ 9,7 milhões retornaram para a duplicação.

Um dos lotes poderá ser retomado em breve, pois o DNIT divulgou que lançará contratação para conclusão das obras no trecho 5, entre Camaquã e Cristal. A empresa responsável quebrou. Somente 43% dos trabalhos foram realizados. As propostas serão conhecidas em 27 de dezembro.