ABERTURA DA COLHEITA DO ARROZ EM TERRAS BAIXAS É DESTAQUE NA REGIÃO SUL DO RS

128
Abertura da Colheita do Arroz teve início nesta quarta e se estende até sexta-feira (23) na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, no Capão do Leão. (Foto: Carlos Queiroz)

O Rio Grande do Sul, responsável por 70% da produção nacional de arroz, plantou 60.231 hectares a mais em relação à safra passada. A informação é do presidente do Instituto Rio-grandense do Arroz (Irga), Rodrigo Machado, durante coletiva na manhã desta quarta-feira (21). A atividade abriu a extensa programação do primeiro dia da 34ª Abertura da Colheita do Arroz – “Gestão Potencializando Safras”. O evento, considerado o maior do gênero na América Latina, teve início nesta quarta e se estende até sexta-feira (23) na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, no Capão do Leão.

Participaram da coletiva realizada no auditório Frederico Costa a diretora técnica do Irga, Flávia Tomita, e o presidente da Federarroz, Alexandre Velho.

A Abertura da Colheita do Arroz é uma realização da Federarroz, com correalização da Embrapa Clima Temperado e Senar RS. A cerimônia oficial da abertura está marcada para as 17h desta quinta-feira (22), com a presença do governador Eduardo Leite (PSDB). Já na sexta, pela manhã, no estande do Irga, a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) vai aclamar a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) como a nova presidente da entidade para um mandato de um ano.

O total semeado chegou a 900.203 hectares, o que representa um acréscimo de 7,17% em comparação à safra 2023, que totalizou 839.972 hectares. Ao contrário do arroz, a área de soja na atual safra sofreu uma redução de 16,55% (83.755 hectares), fenômeno atribuído pelo presidente do Irga às condições climáticas. Em 2024 foram plantados 422.210 hectares da oleaginosa. Ano passado foram registrados 505.965.

Programação intensa
A agenda de atividades prosseguiu durante a manhã e tarde. Às 9h foi aberta a Arena Digital, a principal novidade desta edição da Abertura da Colheita do Arroz. O espaço é dedicado à inovação no agronegócio. O evento de abertura contou com um painel com a participação dos secretários estaduais Giovani Feltes (Agricultura) e Simone Stülp (Inovação, Ciência e Tecnologia), além do superintendente de Inovação da UFPel, Vinícius Farias, e do coordenador do INOVA RS, Artur Gibbon.

Já a reunião da Câmara Setorial do Arroz, um dos eventos mais aguardados da programação, foi marcada pela troca de comando do órgão. O ex-presidente da Federarroz, Henrique Dornelles, assumiu a presidência nesta manhã, no lugar do antecessor, Daire Coutinho. Em sua primeira manifestação oficial na liderança do órgão, Dornelles alertou sobre os custos futuros de produção, principalmente em relação à tributação. “Teremos um desafio em propor algumas interferências com o objetivo de garantir um alimento com preços adequados à população”, disse.

Homenagens
O primeiro dia desta edição da Abertura da Colheita culminou com a tradicional homenagem a personalidades que se destacam no setor arrozeiro. Na solenidade realizada no auditório Frederico Costa foram condecoradas com o prêmio Pá de Arroz nas categorias Produtor Destaque, Amigo da Lavoura, Técnico Federal, Imprensa, Destaque Aguador e Lavoura Nota 10 a Cooperativa Agrícola de Uruguaiana (Caul) e nove pessoas físicas. O produtor rural e ex-deputado federal Érico Ribeiro foi o homenageado especial da cerimônia.

O Pá de Arroz é considerado a principal premiação do setor e o símbolo mais importante de uma lavoura de arroz. “É o instrumento de trabalho que orgulha a quem a usa e a quem a recebe”, disse Alexandre Velho na solenidade.

Foram agraciadas, além de Érico e da cooperativa da Fronteira Oeste, as seguintes personalidades: Aílton Nicoleti Bacelo, Luiz Carlos Machado e Luiz Carlos Nemitz (Produtor Destaque); Cláudio Steinstrasser Rocha (Amigo da Lavoura); Helena Pan Rugeri (Técnico Federal); Leandro Freitas (Imprensa); Carlos Alberto Pimentel (Destaque Aguador); e Carlos Alberto Iribarrem (Lavoura Nota 10).